A Câmara Municipal de Loulé volta a trazer ao sotavento algarvio, de 18 a 23 de janeiro, a Monstrare, a mostra internacional de cinema social que, este ano, integra a programação da primeira edição do Algarve Film Week, uma iniciativa que reúne numa semana vários eventos cinematográficos.

Sessões de curtas e longas-metragens nacionais e internacionais, debates e ainda uma masterclass sobre realização de cinema, é esta a proposta da Monstrare de 18 a 23 de janeiro, em Loulé. A mostra internacional de cinema social- de entrada gratuita - arranca com uma sessão de esclarecimento para jovens - "Saúde Mental e a Pandemia" - que contará com a presença do psicólogo Luís Neves e de Nuno Murcho (ARS) na Escola Secundária de Loulé. Ainda no mesmo dia, mas numa programação noturna, serão apresentadas três curtas-metragens portuguesas no Auditório do Solar da Música Nova - "A Viagem", de Henrique Lopes, "Macabre", de Jerónimo Rocha e João Miguel Real e "Erva Daninha", de Guilherme Daniel.

Este ano, a Monstrare faz parte da primeira edição do Algarve Filme Week, uma iniciativa que reúne numa semana vários eventos cinematográficos, e por isso o Festival Caminhos do Cinema Português foi convidado a programar duas sessões. Assim, no dia 19 de janeiro, será exibida uma sessão de curtas-metragens, composta pelos filmes "O Lobo Solitário", de Filipe Melo, "O Que Resta", de Daniel Soares, a curta de animação "O Macaco", de Xosé Zapata e Lorenzo Degl´Innocent, uma coprodução Portugal e Espanha, havendo ainda espaço para a longa-metragem "Clube dos Anjos", realizada pelo brasileiro Angelo Defanti, numa coprodução entre Portugal e Brasil.

Este é um festival também feito de debates, por isso, o terceiro dia traz a Loulé o jornalista Carlos Albino e Miguel Fernandes do Algarve Tech Hub para falarem sobre Inteligência Artificial na Casa do Meio-Dia. Já no Auditório do Solar da Música Nova é exibido "Desculpa! Uma História Sobre Bullying", de Dave Schram. O realizador quarteirense Bernardo Lopes - que em 2021 recebeu inúmeros prémios pela sua curta "Moço", entre eles o Prémio Sophia 2021 para Melhor Curta-Metragem -, irá também passar alguns dos seus conhecimentos numa masterclass sobre realização de cinema no Auditório da Escola Secundária de Loulé. Ainda no dia 21, é exibido o documentário de animação "Flee", de Jonas Poher Rasmussen, que conta a história verídica de um homem, que, prestes a casar-se, decide revelar o seu passado como refugiado afegão.

A mostra termina no domingo, dia 23 de janeiro, pelas 17h00, com a segunda longa-metragem do realizador português Adriano Mendes,  "28 ½" - o filme centra-se na personagem de Teresa, interpretada por Anabela Caetano, ao longo de um dia e de uma noite difíceis.

Os prémios Cinetendinha, que pretendem distinguir os melhores filmes e atores nacionais de 2021, também estão de volta para uma 2ª edição com o jornalista de cinema Rui Pedro Tendinha, numa cerimónia que será transmitida em live streaming a partir do Cineteatro Louletano.

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografia disponível via Pexels

Se queres ler mais notícias, clica aqui.