É a partir do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, vulgarmente conhecido por Mosteiro da Batalha, que a edição de 2021 do Festival Artes à Vila acontece, fazendo ecoar os sons da cultura portuguesa no património da vila. Nos dias 25 e 26 de julho, é possível assistir ao vivo aos concertos de Dulce Pontes, JP Simões, Benjamim e Filipe Sambado, entre outros músicos e artistas que compõem a programação.

A relação do património cultural com a as sonoridades de origem portuguesa são a génese do festival

Esta edição do Festival Artes à Vila conta ainda com os grupos Remexido, Moçoilas, Telmo Pires, oVo Mau e LaBaq & Yosune, no dia 25, que se juntam aos artistas Filipe Sambado, Benjamim, Não Simão, JP Simões e Dulce Pontes, que sobem ao palco a 26 de junho.

O fim de semana não se faz apenas de música. O dia 25 inicia-se com a exposição “Almada Negreiros e o Mosteiro da Batalha”, workshops, conferências e outras atividades que proporcionam um encontro com as origens e os artistas emergentes. No dia 26, as visitas guiadas às gárgulas do mosteiro compõem uma programação cultural diversificada.

Este ano o Artes à Vila apresenta uma edição em formato presencial e online

O festival celebra este ano o regresso do público ao vivo, num formato presencial e com transmissão online em direto, a partir do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, nomeado Património da Humanidade pela UNESCO. Este património revela-se o lugar ideal para a celebração da música e dos artistas nacionais, levando cultura à vila da Batalha.

A programação do Artes à Vila encontra-se disponível aqui.

Texto de Ana Mendes
Fotografias disponíveis na página de facebook do Festival Artes à Vila

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.