A 4ª. edição do MURO Festival de Arte Urbana Lx_21 acontece entre os dias 3 e 11 de julho, com mais de 60 artistas nacionais e internacionais e um conjunto de intervenções de arte urbana expostas na freguesia do Parque das Nações, na cidade de Lisboa.

Este ano, com o propósito de criar uma corrente agregadora da cultura de arte urbana e exposição artística, o Festival MURO programa um roteiro em três zonas do Parque das Nações, tendo como epicentro a Gare do Oriente. Com o mote “O MURO QUE NOS (RE)ÚNE”, a 4ª. edição do festival convida a percorrer as ruas da capital e visitar mais de duas dezenas de intervenções artísticas de arte urbana.

Para além dessas obras, a programação contempla três exposições, duas instalações e um workshop. Mais de 60 artistas nacionais e internacionais apresentam os seus trabalhos ao público, a partir do dia 3 de julho, com o objetivo de demonstrar uma perspetiva diversificada dos vários géneros artísticos, com uma forte adesão de artistas de grafitti.

As visitas guiadas acontecem nos dias 9, 10 e 11 de julho, a pé ou de bicicleta, com recurso aos percursos disponíveis no site oficial do evento. A iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, em coprodução com a Junta de Freguesia do Parque das Nações e a Gebalis, contempla ainda a possibilidade de acompanhar a criação das intervenções artísticas ao longo das próximas semanas, onde duas, das 25 previstas para o festival, já se encontram concluídas.

Dividido em três núcleos de arte urbana, o MURO recebe o espaço da Multiculturalidade, no Casal dos Machados, onde conhecemos a relação entre os conceitos de comunidade, nações, culturas e igualdade, através das obras dos três vencedores da Open Call Artista MURO LX_21, Juan José Surace, MOTS e Rocket01, pelo Colectivo Rua, na Rua Padre Joaquim Alves Correia, D*Face, na Avenida Aquilino Ribeiro Machado, e ainda IAmEelco, Los Pepes, Nark, Pedro Podre e Stom500.

@ Bruno Cunha

Na dimensão da Sustentabilidade, que se concentra na Avenida de Pádua, a temática ambiental na vida da cidade de Lisboa é transporta para as obras dos artistas Bordallo II, com uma intervenção inédita no festival, o Grupo Visegrado - Mikołaj Rejs, da Polónia, Fat Heat, da Hungria, Tomáš Junker aka Pauser da República Checa, e Dupla RCLS da Eslováquia, que se junta a Jacqueline de Montaigne, Krus e Thiago Mazza.

No núcleo da Cultura Urbana, que ocupa o Parque Tejo, o festival MUROLX_21 centra-se na presença do graffiti nos pilares e muro da Ponte Vasco da Gama, nos campos de basquete e no Skatepark. Para além do artistas português Odeith, e, diretamente da Colômbia, a artista Zurik, juntam-se os artistas Nuno Viegas, o colectivo Thunders, que inclui Bray, Chure, Monster, Klit, Mar e Mosaik – e Trafic.

Já na Gare do Oriente, ponto de encontro do festival MURO LX_21, será possível visitar as três exposições do evento, “Obliquity” de Odeith, “Karma” de Crack Kids, e as instalações artísticas “Around, de Fahr021.3 e Before I Die, de Rita Cabaço.

Para mais informações sobre a programação do festival consulte aqui.

Texto de Ana Mendes
Fotografias de Bruno Cunha

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.