O Museu Nacional da Música vai ser transferido para o Palácio de Mafra e espera-se que abra até ao início de 2021. A ministra da cultura, Graça Fonseca, anunciou na passada quinta-feira, dia 31 de janeiro, que o projeto vai ser desenvolvido durante 2019 para que em 2020 se consiga dar início à obra e, um ano depois, abrir ao público.

Há 25 anos a fazer da estação de Metro do Alto dos Moinhos, em Lisboa, a sua casa, o Museu Nacional da Música passa para um lugar onde poderá ser mostrado ao público com mais projeção. Em declarações dadas à Lusa num artigo publicado pelo jornal Público, a ministra disse fazer todo o sentido levar o museu para Mafra pela “ligação histórica de Mafra à música, pela necessidade de descentralizar a Cultura e pelas sinergias que aí podem ser criadas”. Ao contrário do que o anterior ministro da cultura, Luís Filipe Castro Mendes, tinha previsto, o espólio não vai ser dividido em mais do que um espaço, centrando-se por completo na ala norte do Palácio de Mafra. 

O acervo do museu é compõe-se, segundo o mesmo artigo, por mil instrumentos dos séculos XVI ao XX, de tradição erudita e popular, como por exemplo os cravos Taskin, de 1782, e Antunes, de 1758, o violoncelo de Antonio Stradivari que esteve na posse do rei D. Luís e as flautas de Ernesto Frederico Haupt, datadas de meados do século XIX. Além dos instrumentos contém espólios documentais e coleções fonográficas e iconográficas.

A história do Museu Nacional da Música remonta a 1911 quando o musicólogo Michel'angelo Lambertini conseguiu fazer-se nomear pelo governo para começar uma recolha de instrumentos musicais, partituras e peças de iconografia musical dispersos em edifícios públicos e religiosos em Portugal. Apoiou-se na ajuda de António Carvalho Monteiro que como Michel'angelo era colecionador, para adquirir a coleção Keil antes que esta fosse comprada por outros e enviada para o estrangeiro. A missão foi bem sucedida e juntos reuniram as coleções Lambertini, Alfredo Keil e Carvalho Monteiro num edifício da Rua do Alecrim.

Com a morte de Lambertini e Carvalho Monteiro o edifício ficou ao abandono e foi descoberto por Tomás Borba em 1931, na altura conservador do Museu e Biblioteca do Conservatório Nacional. Nos anos que se seguiram as coleções foram procurando um lugar para se instalar e apenas no ano de 1994 se cumpre o sonho de Lambertini: o Museu da Música inaugura a 26 de julho de 1994 na estação de Metro do Alto dos Moinhos. 

Descobre mais sobre o Museu Nacional da Música, aqui

Texto de Carolina Franco
Fotografia de Pedro Ribeiro Simões via Flickr

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.