Ainda não está totalmente finalizada, mas já começa a ser uma realidade. A aplicação que quer mostrar Lisboa através do olhar singular de "pessoas marginalizadas ou em risco de exclusão social" está a ser desenvolvida no âmbito do projeto Memex. Este consórcio de investigação, que junta dez entidades europeias, está a estudar as possibilidades da inclusão social através do património histórico com a mediação da tecnologia.

No caso concreto da app, a ideia é que, ao passar num local como a Baixa de Lisboa, por exemplo, se receba uma notificação no telemóvel que alerta para a disponibilidade de conteúdos sobre os monumentos da zona. Esses conteúdos serão, sobretudo, narrativas partilhadas por pessoas ou comunidades que, desta forma, irão mostrar aquela que é a sua perspetiva sobre o tal monumento ou que ele representa para elx. “Estas ferramentas vão capacitar comunidades de pessoas possibilitando-lhes combinar as suas experiências e memórias fragmentadas em histórias atrativas e geolocalizadas, usando novos conteúdos digitais pessoais em relação com o Património Cultural Europeu preexistente”, segundo informação cedida pela Mapa de Ideias, entidade portuguesa que integra o Memex.

No fundo, pode dizer-se que a app quer contribuir para desconstruir aquelas que são as narrativas vigentes, nomeadamente em temáticas como o colonialismo, segundo o coletivo. A par com Lisboa, esta ação-piloto está também a ser desenvolvida nas cidades de Barcelona e Paris. O objetivo é, numa fase posterior, desenvolver conteúdos em realidade aumentada. “As ferramentas do Memex vão permitir às comunidades que contem as suas histórias e reivindiquem os seus direitos e participação igual na sociedade europeia”, lê-se na página oficial do consórcio.  

Esta divulgação acontece no âmbito Jornadas Europeias do Património 2021, que este ano acontecem em Leiria, sob o mote do Património Inclusivo e Diversificado. Apesar disso, a app está ainda a ser desenvolvida, não estando ainda prevista uma data concreta de lançamento e disponibilização ao público. O projeto MEMEX teve início em 2019 e terá duração até 2022, sendo financiado pelo programa de Investigação e Inovação da União Europeia, Horizonte 2020.

Texto de Sofia Craveiro
Fotografia de David Marcu via Unsplash

Se queres ler mais notícias clica aqui.