O concelho de Mértola vai receber, de 15 a 16 de fevereiro, o fim de semana Terras Sem Sombra. O programa, que se apelida de “Nas Asas do Espírito – Voz e Silêncio”, assenta em três vertentes culturais: música, património e biodiversidade e propõe-se a olhar para o passado, a partir do presente, com vista para o futuro.

José Hernández Pastor é o primeiro convidado do fim de semana na terra alentejana. O artista vai subir ao palco da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Entre-as-Vinhas para interpretar Canto Gregoriano através de música a cappella. José Hernández Pastor “transmite uma experiência em que se fundem a voz e o silêncio, a reflexão e a serenidade, o recolhimento e a beleza meditativa”, refere o diretor artístico do festival, Juan Ángel Vela del Campo, em comunicado. O concerto está marcado para as 21h30 deste sábado, dia 15.

Já durante a tarde, a Igreja Matriz de Mértola vai encher-se de visitantes para redescobrir o passado islâmico no concelho. Susana Gómez Martínez e Cláudio Torres, do Campo Arqueológico de Mértola, são os arqueólogos responsáveis. “O legado do Islão moldou a paisagem urbana e rural e deixou traços na vida e nos costumes da população local, mas não constituiu um facto isolado, pelo contrário, inseriu-se numa longa conjuntura, definida pela geografia e pela história”, pode ler-se.

Para fechar a agenda em Mértola, está reservada, no domingo, uma visita à Horta da Malhadinha, com o objetivo da salvaguarda da biodiversidade. O espaço agrícola é um exemplo de agricultura sustentável e de um sistema que adapta as culturas ao clima e solos.

O Festival Terras Sem Sombra é promovido pela Associação Pedra Angular e é um projeto cujo objetivo passar por dar a conhecer ao público os valores ambientais, culturais, arqueológicos e paisagísticos do Alentejo. Neste ano de 2020, a 16.ª temporada acontece entre janeiro e julho.

Texto por Gabriel Ribeiro
Fotografia cedida pela organização

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
mertola-gerador