Todos os anos, em pleno mês de dezembro, Portugal, a par de outros países do hemisfério norte, entra na estação mais fria devido ao solstício de inverno, naquele que é o dia mais curto do ano. O fenómeno inspirou a criação do festival O Dia Mais Curto, que dinamiza, entre os dias 1 e 21 de dezembro, dezenas de sessões de curtas-metragens, o formato mais curto do universo cinematográfico.

Este será o sétimo ano consecutivo em que a iniciativa se realiza em Portugal, organizada pela Agência da Curta Metragem. Tendo surgido em França, o modelo é replicado em diversas localidades portuguesas, incluindo os arquipélagos dos Açores e Madeira, com uma programação com obras nacionais e internacionais, dos mais variados géneros, para crianças e adultos. As sessões decorrem um pouco por todo o lado, desde as tradicionais salas de cinema, às bibliotecas, televisões e piscinas, aos museus e transportes públicos.

Nesta edição, o festival passa por um total de 28 localidades: Almada, Amadora, Amarante, Aveiro, Barcelos, Braga, Caxias, Elvas, Faro, Guimarães, Leiria, Lisboa, Lourinhã, Madalena (Pico), Maia, Odivelas, Ovar, Porto, Sardoal, Setúbal, Tavira, Tomar, Torres Vedras, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão, Vila Real, Vila Verde e Viseu.

Para além dos programas propostos pela Agência da Curta Metragem, agrega-se ainda a programação própria de várias associações ou cineclubes que aderiram ao evento, sessões especiais para escolas, mas também a exibição televisiva ou online.

À semelhança dos anos anteriores, O Dia Mais Curto também passará pela televisão, com programas especiais na RTP2, Canal 180 e nos Canais TvCine & Séries, e pela Internet, com sessões no site da Agência da Curta Metragem e na plataforma Filmin.

Uma seleção dividida em cinco programas
A seleção da iniciativa encontra-se distribuída por cinco programas, que incluem sessões para adultos e crianças, com filmes portugueses e estrangeiros, de diferentes géneros.

O programa “Curtas do Mundo” é uma sessão de curtas internacionais que dá a conhecer várias visões do mundo nos dias de hoje. Cinco curtas-metragens de vários pontos da europa, oferecem um olhar astuto e bem humorado sobre a sociedade contemporânea. Já a sessão “Novas Curtas Portuguesas” apresenta um conjunto de curtas-metragens nacionais que têm vindo a ser reconhecidas pela sua qualidade em festivais de cinema de todo o mundo, revelando novos e talentosos cineastas.

Para assinalar vigésimo aniversário da Agência da Curta Metragem, as sessões do programa “20 Anos da Agência” incluem alguns dos filmes mais importantes destas duas décadas de actividade numa retrospectiva que é também uma viagem à história da curta-metragem portuguesa.

A pensar nos mais novos, as sessões “Amiguinhos” e “Curtinhas para Todos” apresentam pequenas histórias, oriundas de vários países, que abordam, de forma lúdica, temas importantes.

Em paralelo com estes programas, existirá também espaço para a programação mais particularizada, como é o caso dos “Programas Especiais”, cujas sessões são dedicadas a uma temática específica ou realizador segundo o critérios da entidade exibidora.

No ano passado, o festival contou com um total de 86 sessões e mais de 50 filmes, exibidos em 27 localidades portuguesas, passando por locais como o Metro do Porto e, em 2017, o Santana Hotel & SPA, em Vila do Conde.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.