O título deste texto foi uma das coisas que li esta semana pela internet, e que me ficou na cabeça. São milhares os comentários nas redes sociais. Podia referir muitos, mas trago este que carrega muita mensagem escondida.

Estou a falar do quê? Dos Jogos Olímpicos, onde Portugal tem tido uma grande prestação, com muitos Portugueses a ter uma grande performance. Até já temos uma medalha de OURO, woooow sim, de OURO, algo que poucos conseguiram trazer para Portugal e que tanto peso tem.

Mas o que se passa com estes Jogos Olímpicos que tanta discussão têm dado pela internet? O simples facto de muitos desses Portugueses vencedores de medalhas serem PRETOS.

Mas vamos lá, até agora já temos algumas medalhas vencidas e algumas foram conquistadas por Portugueses pretos, e o que tem acontecido?! Os racistas estão frustrados, nervosos e revoltados com tudo isto. Para alguns, não é branco, não pode ser Português; para outros, se não nasceu cá apesar de ter a nacionalidade, não deveria representar o país.

É algo revoltante, que custa muito ver e ler. Custa mesmo, porque para muitos como eu que nascemos aqui, temos mais de 30 anos nesta terra e nunca temos o sentimento de ser mesmo de cá. Nem ganhando medalhas numa grande competição como os Jogos Olímpicos tem sido suficiente. No dia 5/8/21, no discurso do nosso Presidente. Marcelo Rebelo de Sousa, ele frisou esse facto, e carregou muito bem em cima dos racistas que estão espalhados pelo nosso país.

É de lamentar a quantidade de mentes pequenas e ignorantes que ainda estão por Portugal. Desta vez, dei-me ao trabalho e andei a abrir alguns perfis, e fiquei um bocado chocado com as pessoas que partilham estas ideias, pessoas com cargos públicos, enfermeiros, motoristas e donos de restaurantes.

Pergunto-me se no exercício da sua função se estas pessoas são profissionais ou o racismo, a discriminação, a xenofobia falam mais alto? Será que uma cozinheira de um restaurante no norte vai cozinhar da mesma maneira se a mesa for de uma família preta? O cuidado do enfermeiro será o mesmo se estiver a cuidar de uma pessoa preta?

TRISTE E REVOLTANTE.

Depois há os que é consoante a situação. Se for um PRETO numa situação ligada a um crime ou algo que não seja positivo é o “vai para a tua terra”, mas como é uma coisa boa para o país, já é Português, o chamado Português de bem.

Devo também referir os comentários feitos por duas pessoas ligadas à extrema-direita, não vou dizer os nomes - vocês chegam lá -, que admito que fiquei um bocado perplexo, ao darem os parabéns aos vencedores, mas muito ao jeito de slave-master a parabenizar o seu melhor escravo que, por acaso, também é house-nigga (pesquisar no Google), há que ter esta postura para quando forem confrontados pelos grupos radicais de extrema-direita da Europa poderem dizer algo a seu favor, uma comédia isso sim.

Mas fico contente por estar a haver uma maior abertura para os pretos nos desportos, e isto só prova que se nos bairros sociais houvesse uma maior aposta no campo do desporto, mais vencedores de medalhas olímpicas estariam a nascer. Podemos não crescer com a ambição de ser médicos, arquitectos ou engenheiros, mas podemos crescer com a ambição de ser o próximo recordista dos 100 metros ou o próximo grande vencedor do triplo salto como o grande Pedro Pichardo.

Com isto volto uns textos atrás, onde abordei a questão do ADN e sonho com o dia em que grande parte da população portuguesa faça um teste e veja que sangue lhes corre nas veias, e sintam o ridículo que é julgar as pessoas.

Espero também que o nosso número de medalhas aumente e, se for para ver os racistas em alvoroço e a subir paredes, que sejam mais PRETOS a ganhar essas mesmas medalhas.

A palavra PRETO foi usada em excesso por uma razão.

-Sobre Nuno Varela-

Nuno Varela, 36 anos, casado, pai de 2 filhos, criou em 2006 a Hip Hop Sou Eu, que é uma das mais antigas e maiores plataformas de divulgação de Hip Hop em Portugal. Da Hip Hop Sou Eu, nasceram projetos como a Liga Knockout, uma das primeiras ligas de batalhas escritas da lusofonia, a We Deep agência de artistas e criação musical e a Associação GURU que está envolvida em vários projetos sociais no desenvolvimento de skills e competências em jovens de zonas carenciadas.Varela é um jovem empreendedor e autodidata, amante da tecnologia e sempre pronto para causas sociais. Destaca sempre 3 ou 4 projetos, mas está envolvido em mais de 10.

O Nuno Varela é formador do curso de 9h “Introdução ao movimento Hip-Hop”, que decorre de 9 a 11 de agosto na Academia de Verão do Gerador. Se te interessas por este tema clica aqui para saberes como podes assistir.

Texto de Nuno Varela
Fotografia de Pedro Vaccaro
gerador-gargantas-soltas-nuno-varela