O blog de fotografia Efecetera deu início, em Março, a uma oficina de Cianotipia, um processo de impressão fotográfica em tons de azul, descoberto, na primeira metade do século XIX, pela botânica e fotógrafa Anna Atkins e pelo cientista John Herschel. Esta destina-se a jovens, a partir dos 16 anos, e a adultos, e prolongar-se-á até 31 de Julho. Realiza-se, semanalmente, à quinta-feira, na Casa Atelier – Fundação Arpad Szenes Vieira da Silva, em Lisboa, com orientação de APIGMENTA.

“A IMPRESSÃO AZUL desenvolve-se num dos eixos da APIGMENTA art education designado ‘edições’. Com a produção destas edições, achamos que pode ser pertinente para o desenvolvimento da educação artística dar a conhecer o processo desta técnica. Neste sentido, apresentamos três workshops diferentes, possibilitando uma exploração diversificada da técnica”, lê-se na sinopse.

O primeiro módulo, “Cianotipia com elementos vegetais”, decorreu em Março. Neste, realizou-se uma introdução à ciniatopia e, tal como o título indica, uma exploração da técnica, através de elementos naturais e vegetais. Este resultou na criação individual de cianotipias apigmentadas. No segundo módulo, “Cianotipia com elementos do quotidiano”, que se realizou em Abril e Maio, outros materiais foram introduzidos, como “sal, papel vegetal, sementes, impressões em papel de acetato”, contendo, uma vez mais, uma componente práctica.

O terceiro módulo, “Cianotipia com desenho e cor”, terá início em Junho e contemplará, também o mês de Julho. Este propõe-se “transformar desenhos em cianotipias, rabiscando com linha, ponto, mancha e forma”. Os participantes criarão “cianotipias resultantes dos seus próprios desenhos podendo complementá-las posteriormente com outras cores, para além do azul característico desta técnica.”

Sabe mais aqui.

Texto de Raquel Botelho Rodrigues

Fotografia disponível na página de Facebook do evento