A 6.ª edição do festival Percursos Sonoros acontece já no dia 2 de outubro, entre as 18h e a meia noite, em Oliveira de Azeméis. O anfitrião desta edição é o Palacete da família Brandão. Bia Maria, Don Pie Pie, Dream People e Tó Trips são os nomes anunciados. A entrada é gratuita.

Pelo segundo ano consecutivo, o festival acontecerá apenas num espaço icónico da cidade, mas haverá mais do que um palco, garantindo o regresso ao conceito de movimento associado ao festival. "As portas deste imponente edifício, de 1898, há tanto tempo fechadas, estarão abertas para todos os que queiram matar saudades da sua infância ao som de nomes conhecidos do panorama musical nacional", pode ler-se na nota da organização enviada ao Gerador.

Mais do que um festival, o Percursos Sonoros, organizado pela associação juvenil Incentivo Positivo, em parceria com a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e com o Conselho Municipal da Juventude, é num projeto de valorização do património local.

Em parceria com o projeto Percursos Cruzados, a iniciativa – que este ano junta a comemoração do Dia Internacional da Música e do Dia Internacional do Idoso (ambas celebradas no dia 1 de outubro) – vai ter uma atuação de abertura liderada pelo Grupo de Canto Activida do Clube Sénior da Pró-Outeiro e a banda oliveirense Timeless Sound.

Quanto ao Palacete da família Brandão, apesar de o edifício parecer ter saído de um conto de fadas, o seu passado está envolto numa história que a organização dá a conhecer: "Ao regressar do Brasil, com uma fortuna de fazer inveja a qualquer um, Manuel Brandão quis construir uma casa ímpar em Oliveira de Azeméis e arredores. No entanto, os elevados custos da construção e toda a pressão inerente a esta empreitada conduziram a um final infeliz para este homem, que pôs fim aos seus sonhos com um tiro na cabeça. Apesar do que se fazia prever, esta parte da história teve um final feliz: a viúva do senhor Brandão, resiliente, canalizou toda a sua dor para dar continuidade ao sonho do marido e a obra nasceu. Após largas dezenas de anos felizes, em 1983, o Palacete foi entregue à Misericórdia oliveirense, que proporcionou mais 26 anos animados, transformando-a em creche e jardim de infância, onde foram acolhidas centenas de crianças. Quase 3 dezenas de anos depois, devido ao estado de degradação, a Segurança Social fechou as portas do edifício, deixando o coração dos oliveirenses apertado quanto ao seu futuro que, ao que parece, vai voltar a sorrir."

Texto de Flávia Brito
Fotografia da cortesia da organização

Se queres ler mais notícias sobre a cultura, clica aqui.

Tó Trips encabeça Percursos Sonoros