Propeller, o quinto trabalho de originais de Paraguaii traz-nos a disrupção completa e abraça uma nova identidade estética. O disco terá estreia, já, na próxima segunda feira, 26 de abril e estão já confirmados concertos de apresentação no Theatro Circo, em Braga, e no Teatro Gil Vicente em Barcelos.

Ao longo do disco, onde há sombra, vemos luz e no momento em que vemos luz logo nos aparece o nublado. É para este confronto de opostos que devemos estar preparados. Há momentos de densidade mas também há momentos onde tudo flui com uma suavidade que, ao colocarmos tudo numa balança, vemos os dois pesos a fazer espelho. Tudo é doseado sob uma arquitetura estética, quase mecânica, mas sem nunca deixar de soar um trabalho orgânico.

A eletrónica é palavra de ordem, mas desenganem-se: é o homem que controla a máquina e não o contrário. É precisamente aqui que reside a mestria deste disco: no uso exímio de toda uma componente eletrónica, mais ou menos assumida, mas que atinge o seu pináculo, agora, com Propeller.

O segundo single de apresentação do disco “All my Feelings Fall in Love” representa a paixão no seu estado puro. A saudade da leveza e a nostalgia que, por vezes, podemos sentir desse mesmo estado.

Texto de Isabel Marques
Fotografia disponível via facebook Paraguaii