Filomena Cautela, atriz e apresentadora, é uma cara conhecida do grande ecrã, quer como atriz em telenovelas portuguesas, quer como apresentadora em programas bem divertidos na MTV e RTP. Mais recentemente chega até nós em direto, todas as quintas feiras, no 5 Para A Meia-Noite com o seu humor, criatividade e ousadia característicos. E quem ficou indiferente à sua presença na Eurovisão há bem pouco tempo? 


É dia de 5 Para A Meia-Noite e o ponteiro do relógio está perto da hora do ensaio final antes de o programa ir para o ar. Chego ao museu da RTP e o simpático Xavier, o produtor do programa, recebe-me. Junto aos camarins encontramos uma mesa que fita os característicos espelhos iluminados. É um lugar calmo para jogarmos à Pergunta da Sorte. Enquanto aguardo pela Filomena vou montando o jogo. Eis que o Xavier vem ter comigo e me pergunta se podemos ir para outro sítio. Sigo-o e, quando dou por mim, estou no camarim da Filomena Cautela, onde a própria está a ser maquilhada e penteada. Agora sim, encontramos o lugar para mais uma jogatana. Simpatiquíssima, a Filomena cumprimenta-me e explico-lhe as regras do jogo abreviadamente. O 5 Para A Meia-Noite é um programa gravado em direto e, em pouco mais de uma hora, a Filomena estaria no estúdio para mais um programa com convidados muito especiais. O que quer isto dizer? Este vai ter de ser o jogo mais rápido e eficaz da história da Pergunta da Sorte! Prontos para esta viagem nos estúdios da RTP? Enquanto continua a ser maquilhada e penteada, a Filomena lança o dado e avança 4 casas. Fomos parar à casa do Sê Criativo, a casa que lança um desafio que o convidado tem de resolver de forma criativa. A Filomena vira a carta que revela a primeira pergunta.

Sê Criativo: Pensa no teu maior defeito. Agora desenha-o e eu adivinho qual é.

Filomena Cautela (F): Isto é muito rebuscado. Então vá, estás pronta?

Andreia Monteiro (A): Sim!

Muito rapidamente a Filomena começa a rabiscar um desenho bem artístico do seu maior defeito. Qual será? Vê aqui a sua obra-prima.

Desenho do maior defeito por Filomena Cautela

A: Zangas-te com muita facilidade? (risos)

F: Sim, é isso! Não está bom? Vês? Desenho muito bem, que fique aqui registado para o Gerador.

Registadíssimo este talento da Filomena, é altura de voltar a lançar o dado. 4 casas à frente vamos parar a uma Pergunta da Sorte, em que posso fazer a pergunta que escolher na altura.

Pergunta da Sorte: Na tua página de Facebook disseste que adoravas esta foto e perguntaste se as pessoas percebiam porquê. Fala-me sobre o significado que esta imagem teve para ti.

Fotografia que a Filomena publicou na sua página de Facebook

F: Ah, isto é muito óbvio, não é?

A: É.

F: Eu só perguntei se as pessoas percebiam porquê, porque a minha interpretação não é a mais óbvia. Achei esta foto mesmo bonita, não só porque ela era a única que não estava a agarrar no telemóvel, mas porque ela estava com um sorriso muito bonito e sincero. Achei que era demonstrativa dos tempos modernos, mas achei o sorriso dela enternecedor e acho que o sorriso da terceira idade me fascina particularmente. Essa senhora tem o ar de ser a coisa mais querida do mundo! Está?

A: Sim!

F: Bora lá malucaaa!

Num ritmo alucinante e com uma generosidade incrível da nossa jogadora do momento, este jogo, mais do que nunca, é uma maluquice pegada! E o jogo continua. Voltamos a lançar o dado e sai o número 1.

F: Ai não! Deixa-me jogar outra vez.

Se formos a andar uma casa de cada vez, não chegamos ao fim do jogo. Dentro de poucos minutos a Filomena tem de descer para os ensaios no estúdio antes de entrar em direto! Lançando o dado outra vez, avançamos 5 casas indo parar à casa do Pessoal, onde as cartas fazem perguntas sobre a vida pessoal da artista.

Pessoal: Qual foi o momento mais embaraçoso que viveste?

F: Epah, são muitos. Mas acho que posso destacar um que por acaso aconteceu aqui no 5. Foi uma altura em que estavam a dar programas com muitas audiências na televisão e o 5 Para A Meia-Noite ia competir com os programas de maiores audiências. Então eu estava a dizer que toda a gente sabe que a receita para as audiência é não sei quê, não sei quê, não sei quê e nudez integral. Portanto, cá estou eu e vou tirar a minha roupa! Eu tiro a roupa e era suposto entrar um pixel no meu corpo, que entrou de facto. Não estava nua, estava com alguma roupa, mas tiro a roupa e fico com ela nos pés. No final desse segmento alguém mostrou o plano da grua e nesse plano vê-se a minha roupa nos calcanhares. E para qualquer pessoa que já foi apanhada com roupa nos calcanhares, sabe o quão embaraçoso isso é! (risos)

Depois de se reviver um momento embaraçoso que deixaria qualquer um de bochechas coradas, o dado dita que avancemos 4 casas, chegando à casa  Carreira, onde as cartas revelam perguntas sobre a vida profissional da artista.

Carreira: O que gostavas de fazer que ainda não tiveste oportunidade de concretizar?

F: Gostava de ter um projeto para a terceira idade, feita no interior do país, no Norte, em três freguesias principais. Era um projeto cultural que envolvia a terceira idade em três freguesias diferentes. Mais específico não pode ser.

A: Está super bem pensado!

F: Está, não está? Melhor do que possas imaginar!

Com a cabeça alimentada por sonhos e projetos, voltamos a lançar o dado e PUMBA! Avançamos 6 casas indo parar a mais uma casa do Pessoal.

Pessoal: Conta-me uma coisa que ainda não tenhas revelado publicamente.

F: Não, porque senão revelava publicamente (risos).

Com a sua razão, a Filomena segue para bingo e, 5 casas à frente vamos parar ao número 28 onde nada acontece.

F: O que acontece aqui?

A: Nada.

F: Nada??? Ah pah… já viste?

Com um misto de desilusão por não haver uma pergunta ou desafio e o agrado de estarmos a prosseguir quando a agenda está apertada, avançamos mais 6 casas e vamos parar ao número 34 onde, mais uma vez, nada acontece.

F: Epah… I’m on fire! Não estás a perceber!

De facto, não estou a perceber a sorte da Filomena e o nosso azar. Mas vamos ver se desta vez o dado é mais nosso amigo. Mais 3 casas e temos um Sê Criativo!

Sê Criativo: Faz o trecho de uma música com as 5 palavras que te vou dizer.

F: Este jogo é muito exigente!

Com o objetivo de cumprir esta recente fama, tentei escolher 5 palavras exigentes inspirando-me no que via no camarim da Filomena. As palavras escolhidas foram: laranja, secador, humor, cinco e luz.

F: Queres que eu cante isto?

A: Podes cantar.

F: Não vou cantar, vou fazer a letra.

O resultado foi um misto entre declamação de poesia improvisada e um Rap repleto de sentimento. Houve o áudio em baixo para descobrires o trecho da música composta pela Filomena.

Com o humor no ar e com amor num jogo que é para o Gerador voltamos a lançar o dado e sai o número 3, que nos leva até à casa do Pessoal.

Pessoal: O que mais repudias numa pessoa e o que mais gostas?

F: Não sei o que é que mais repudio e o que mais gosto, mas sei que não gosto muito de… epah, isto é um lugar comum tão grande! Mas não gosto muito quando as pessoas se acham o suprassumo da batata e na verdade são uma grande merda. O que mais gostas? Olha, a maior qualidade que eu acho que alguém pode ter é a pureza de sentimentos e isso é tão raro que já nem existe. (risos) Existe, mas é muito, muito raro. Uma pessoa ser pura é muito raro. Não ser poluída, sabes? Tipo… o Xavier (risos).

Lembram-se do Xavier? O simpatiquíssimo produtor que fez com que este jogo fosse possível! O dado manda avançar 1 casa e, desta vez, a Filomena aceita o número, que nos leva a uma Pergunta da Sorte.

Pergunta da Sorte: Imagina que vais começar o 5 Para a Meia Noite agora …

F: Não tenho que imaginar, vou mesmo! (risos)

Pergunta da Sorte: Imagina que vais começar o 5 Para A Meia-Noite agora e que naqueles primeiros minutos em que tens um texto sobre a atualidade tens de falar sobre a cultura em Portugal. O que dirias?

F: Não fazia. Já o fiz durante uns sete anos no meu programa e, se tivesse de falar sobre cultura neste momento e não tivesse tempo para escrever e pensar na mensagem que queria mandar, exatamente o que queria dizer, não o faria. Tinha de pensar bem sobre o assunto, escrever uma coisa pensada. Acho que é um assunto demasiado importante para mim para eu deixar à mercê de um improviso sem estrutura. Não o fazia.

Com amor e respeito à cultura, é hora de rolar o dado novamente. Volta a sair o número 1 que nos leva à casa da Carreira.

F: Fogo, não tenho carreira (risos).

Carreira: Qual foi a maior peripécia que te aconteceu num dia de trabalho?

F: Não sei qual foi a maior, mas já me aconteceram tantas coisas. Olha, posso contar uma, mas não posso dizer onde foi. Foi um evento muito, muito importante em que, a cerca de duas horas do evento, estava fechada num sítio, de onde não podia sair, e fiquei sem vestidos. Acho que é uma peripécia, não é? Talvez tenha sido a menos de duas horas do evento. Ai pode ser ir sem vestidos ou não fazer um evento muito, muito, muito importante. É uma peripécia.

A: É sim.

A preparação da Filomena para o programa está quase a acabar, assim como o nosso jogo, onde já se avista a casa final. Parece que nos estamos a portar bem com o cumprimento de horários. Andamos 4 casas e vamos parar à Pergunta Rápida, onde temos cartas com perguntas de sim ou não que têm de ser respondidas sem pensar muito.

Pergunta Rápida: Comédia ou terror?

F: Comédia. Adoro estas!

Perto, pertíssimo do final avançamos 4 casas, chegando a mais uma Pergunta da Sorte.

Pergunta da Sorte: O que é que o trabalho na esfera humorística te fez descobrir sobre ti mesma?

F: Não me fez descobrir nada. Transformou-me numa pessoa menos cínica, menos rígida. Deu-me uma leveza que eu não tinha antigamente, deu-me uma descontração que eu não tinha. Por acaso pensei nisso hoje, olha que engraçado!

Num uiiii o dado manda-nos avançar 6 casas. Chegamos à Casa Gerador, a casa final do jogo, onde a entrevistada irá responder a uma pergunta do convidado anterior e deixar uma pergunta para o próximo. A Filomena pede-me que espere que ela se vista para podermos gravar a sua resposta. Volto para a mesa onde pensámos que o jogo iria decorrer inicialmente. Oiço chamarem a Filomena para ir para o estúdio, era hora de iniciar o ensaio! De repente, a Filomena aparece e diz-me para a seguir. Eu, a Filomena, o Xavier e um operador de câmara entramos num elevador que nos leva ao backstage do estúdio. Ao entrarmos, o estúdio está repleto de operadores de câmara e técnicos, prontos para começar a trabalhar! É então que a Filomena vem ter comigo e gravamos a sua resposta e pergunta, enquanto um técnico a equipa com o microfone. Ali não há um minuto a perder! Ainda se lembram da pergunta do André Rosinha? “O que é que achaste desta entrevista da Andreia Monteiro?”. Podes rever a pergunta do André aqui.

Vê o vídeo em baixo para saberes qual a resposta da Filomena e a pergunta que deixou para o próximo convidado da Pergunta da Sorte! Vemo-nos em breve! ;-)

Entrevista por Andreia Monteiro