A plataforma francesa de apoio a artistas têxtil Fiber Art Fever! lançou na semana passada um concurso que desafia criativos, sejam eles artistas ou não artistas, a reinventarem o conceito de máscara. A ideia é dar asas à imaginação e transformar o símbolo visual desta pandemia num objeto artístico - sem que se recorra efetivamente a máscaras necessárias aos profissionais de saúde. 

Ao Gerador, Paty Vilo, presidente da associação, explica que a ideia surgiu quando Florence Guillemot-Vilain, uma das artistas do coletivo, partilhou uma imagem: “era um retrato dela com uma máscara feita de cabelo”. “Aí tive logo a ideia de fazer este concurso”.

“Nas redes sociais, em geral, os artistas e o público reagem muito rápido aos acontecimentos. Em torno do coronavirus já partilharam imagens muito engraçadas e criativas. Depois tudo começou a ser cancelado ou adiado e, depois do nosso governo decretar quarentena, tudo começou a fechar. Os artistas começaram a ficar devastados porque é o nosso meio de sustento”, partilha Paty. A ideia de organizar este concurso não foi uma tentativa de resolver o problema, mas de tentar curar a mágoa da incerteza por momentos. 

Emmanuel SchöpperleFrancepétage de plomb...

Publicado por Fiberartfever Art Textile em Domingo, 22 de março de 2020
O objetivo do concurso é trazer algum humor, juntando-lhe criatividade, para a situação que vivemos

“Lembrei-me de organizar um evento virtual em que cada artista pudesse demonstrar a sua criatividade e em que houvesse abertura para recriar as ligações sociais que são agora proibidas. Todas as exposições foram canceladas, por isso vamos pensa-las no virtual”, conta. “A epidemia é dramática; vamos fazer poesia e humor, respondendo criativamente a este isolamento forçado”. 

Paty Vilo vê este momento complicado para os artistas como uma espécie de “residência artística forçada”. Apesar de os artistas visuais estarem “habituados a trabalhar sozinhos”, esta é uma fase complicada para todos, em qualquer parte do mundo. A presidente da associação Fiber Art Fever! reconhece a importância do online neste momento histórico e a necessidade de também a associação que gere estar mais ativa pela Internet. Ainda assim, relembra a dificuldade de conseguir a melhor “leitura das obras de arte” e a "sensação do visitante” numa experiência que não é feita ao vivo. 

“A curadoria, os truques de apresentação das obras, a fala da arquitetura, tudo é muito importante e é difícil consegui-lo no virtual, mas havemos de lá chegar”, diz Paty. “Também temos de aprender a ser inventivos neste aspeto e arranjar uma forma de apresentar os nossos trabalhos no mundo virtual, e criar exposições neste espaço.” Além disso, “a Internet é uma chave para mostrarmos trabalhos internacionalmente”- já o era e, mais do que nunca, o alcance aumenta. “No fim de contas, de qualquer das formas, nada vai algum dia substituir o encontro entre a obra de arte e o espectador. O virtual é uma montra. É a diferença entre olhar para uma peça bonita numa montra e vesti-la”, conclui.

As fotografias das máscaras criadas a partir de casa devem ser enviadas para o e-mail fiberartfever@gmail.com e das três com mais ‘gostos’, publicadas no Facebook da Fiber Art Fever!, a plataforma decidirá o vencedor. O prémio é um ano de subscrição no pacote de artista no site.

A Fiber Art Fever! é uma associação que se dedica à promoção de artistas têxtil contemporâneos através de uma plataforma disponível em duas línguas, francês e inglês. O seu trabalho passa pela divulgação dos artistas que se juntam a si, através de uma quota anual, e pela ajuda a levá-los até espaços de exposição. Em breve terá uma nova plataforma, na qual estará incluída uma app, e que facilitará a pesquisa de artistas por filtros e localidades.

A utilização de máscara cirúrgica tem sido, em Portugal, um dos temas mais discutidos ao longo das últimas semanas. De acordo com Graça Freitas, Diretora-Geral de Saúde, a utilização da máscara dá uma "falsa sensação de segurança" e é melhor não usar máscara, mas simplesmente respeitar o distanciamento social."

Através do Twitter, a Direção Geral de Saúde (DGS) tem procurado informar os portugueses sobre a utilização de máscara

Iniciativas como o concurso da Fiber Art Fever! são uma forma de trazer algum humor para uma situação que pode contribuir, de alguma forma, para que os níveis de ansiedade disparem nos cidadãos. Não pretendem, em momento algum, satirizar a utilização da máscara ou desperdiçar máscaras cirúrgicas que devem ser utilizadas por profissionais de saúde ou pelos cidadãos que, por recomendação dos profissionais, as necessitem.

Podes acompanhar a evolução do concurso internacional da Fiber Art Fever! e, caso decidas participar, encontrar a fotografia da tua máscara, aqui.

Texto de Carolina Franco
Fotografia cedida por Fiber Art Fever!

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.