No dia 14 de Julho foi anunciada, pela Fundação António Quadros (FAQ), a distinção de José Cid, com o Prémio António Quadros, que se prevê ser entregue em Novembro do presente ano, em Rio Maior.

“A vida profissional de José Cid tem sido dedicada a compor, a interpretar e a divulgar a música popular portuguesa”, afirma em comunicado a FAQ, citada pela Lusa. Ao longo da sua carreira, o músico tem contado com outras distinções, como o Grammy Latino Carreira, 2019, o Prémio José Osório, da Sociedade Portuguesa de Autores, em 2015, com em 2015, com o álbum Menino Prodígio.

A juíza Manuela Fialho presidiu o júri, constituído também por António Roquette Ferro, ex-diretor da Faculdade de Design, Tecnologia e Comunicação (IADE), da Universidade Europeia, pelo empresário Francisco de Abreu Gautier, pela gestora de carreiras musicais Isabel Rocha e Mello, e por Madalena Ferreira Jordão, da Fundação.

Por iniciativa da filha do filósofo, escritor, professor universitário e tradutor português, Mafalda Ferro, a FAQ surgiu em 2009, enquanto instituição sem fins lucrativos, com o intuito de apoiar a “investigação e divulgação da vida e obra de António Quadros e também dos seus pais Fernanda de Castro e António Ferro,” continua a Lusa. Desde 2011 que este prémio é atribuído anualmente a figuras de destaque de várias áreas artísticas.

Texto de Raquel Botelho Rodrigues

Fotografia disponível na página de Facebook de José Cid