"Música Humana" de Francisca Aires Mateus é um dos cinco projetos finalistas do Prémio Sonae Media Art 2019. Na próxima quinta-feira, 28 de novembro, o Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado (MNAC) inaugura as propostas promissoras desta edição. 

A instalação de Francisca Aires Mateus engloba 24 composições musicais intimamente associadas às “características emocionais e de personalidade de um indivíduo.” Neste caso, a música surge a pretexto de um conjunto de entrevistas com perguntas inspiradas no Questionário de Proust e também em entrevistas de emprego. Posteriormente, as respostas obtidas foram convertidas para propriedades musicais específicas, como uma tradução da linguagem verbal para a linguagem musical. 

As peças sonoras, escritas pelo maestro Martim Sousa Tavares, pretendem penetrar o vazio através de uma música “espacializada e difusa pela sala, misturando-se com o documentário.” Como se pode ler na programação, "por vezes predomina uma das composições para pouco depois assistirmos a diálogos, confrontos e tensões, até ao ponto da cacofonia." 

Em 2017, Francisca Aires Mateus concluiu o mestrado em Artes Plásticas na Slade School of Fine Arts – University College London. Antes disso, licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e concluiu também uma licenciatura em Violino pelo Associated Board of the Royal Schools of Music, em Londres. Em 2018, foi uma das vencedores do concurso Portuguese Emerging Artists e foi também premiada com uma bolsa integral para uma residência artística na Academia de Artes Visuais da Hong Kong Baptist University. Como artista, esta é uma oportunidade de conciliar dois mundos distintos, mas nos quais quer continuar a trabalhar. Por um lado a esfera das artes plásticas e, por outro, a esfera da música clássica. 

Até 2 de fevereiro, é possível visitar esta e outras propostas inovadoras da terceira edição do Prémio Sonae Media Art. É o caso do trabalho artístico de Diogo Tudela, Rudolfo Quintas ou do coletivo Berru (Bernardo Bordalo, Mariana Vilanova, Rui Nó e Sérgio Coutinho) e do coletivo composto por Tiago Martins, João Correia e Sérgio Rebelo. No dia 4 de dezembro é revelado o vencedor. 

Texto de Mafalda Lalanda

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.