De 7 de Setembro a 9 Novembro, realizar-se-á a primeira edição Estação Minhoca, "o nome dado às rádios locais em Portugal no início do Século XX." Trata-se de um projecto que procura "oferecer uma oportunidade a músicos independentes de, em tão difíceis tempos, poder apresentar os seus trabalhos ao vivo," através de dez micro-concertos privados, em vários pontos centrais da capital, lê-se no comunicado de imprensa.

A Estação Minhoca, concretizada com o apoio do Fundo de Emergência Social - Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, terá início com o Te Voy a Matar. Nas semanas seguintes, sempre às segundas-feiras, pelas 19h00, poder-se-á escutar Batida DJ, no dia 14 de Setembro, Octa Push, Scúru Fitchádu, NERVE, Aurora Pinho, Maria do Mar, Cancro, Cigarra e Miguel Torga.

Os locais das actuações, que prometem ser inesperados, só serão revelados aos seleccionados através dos passatempos nas redes sociais instagram e facebook, do Estação Minhoca, de forma a garantir um público reduzido e cumprir as regras da DGS - Direcção Geral de Saúde.

Entre terça e sexta-feira da semana anterior ao concerto pretendido, poder-se-ão candidatar para ganhar convites duplos, através do envio de um e-mail para unha@unha.pt. Neste, deverão partilhar o motivo da vossa participação. "Não premiaremos a criatividade mas sim a honestidade, por isso, e face à ultra limitação de cada apresentação, apelamos à participação consciente." Durante o fim-de-semana, os vencedores serão contactados.

Rimas e Batidas será o responsável pela transmissão online.

Texto de Raquel Botelho Rodrigues

Fotografia da banda Cancro, cedida pela Estação Minhoca