O projeto “Primeira Vez”, que teve já a sua primeira vez no passado dia 10 deste mês, promete convocar os seus participantes a vir, pela primeira vez, ao Teatro Nacional D. Maria II (TNDM). O objetivo desta iniciativa é a democratização do acesso ao teatro. O “Primeira Vez” deseja que este se torne num veículo de cultura e, simultaneamente, numa ferramenta de ligação entre as pessoas, promovendo, assim, um sentimento de pertença a uma comunidade que o projeto acredita que deveria estar acessível a todos.

Ana Pereira, que coordena o “Primeira Vez” juntamente com Nádia Sales Grade, afirma que “por melhor que trabalhem os teatros, acabam por chegar a muito poucas pessoas, e há muita gente que não é convocada para lá ir”. Ao Gerador, Ana Pereira afirma que é importante de desmistificar a ideia de que o teatro deve ser de todos, não para uma elite, pelo que o projeto pretende exatamente dizer às pessoas que o teatro é uma instituição mais acessível do que se considera. “Há quem ache que o teatro não é para si, que não tem roupa, capacidade intelectual”, acrescenta. Para isso, a coordenadora desta iniciativa explica que o “Primeira Vez” tenciona personalizar o contacto com o teatro e contrariar a lógica de massas.

Ao entrar neste projeto, os participantes têm a possibilidade de assistir a três espetáculos no TNDM, cada um com o custo de 6 euros. Além disso, há ainda a oportunidade de os membros da plateia conhecerem e conversarem com a equipa artística das peças de teatro, no final de cada atuação. O Teatro Nacional D. Maria II, parceiro exclusivo da iniciativa neste ano de arranque, oferece ainda aos participantes uma visita guiada gratuita às suas instalações.

As inscrições no “Primeira Vez” podem ser feitas em grupo ou até individualmente. “Na primeira vez do `Primeira Vez´, que aconteceu dia 10, recebemos casais, famílias, amigos e pessoas que foram sozinhas”, afirma Ana Pereira.

Este projeto, com a co-produção da “Wake Up!” e do TNDM e financiado pelo programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa, pretende trabalhar a ideia de que todos são bem-vindos ao teatro. A obra “Teatro”, de Pascal Rambert, foi a primeira a acolher esta iniciativa que deseja, mais do que oferecer uma ida ao teatro, proporcionar ao público todo um percurso no TNDM.

 

Texto de Carolina Gaspar

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui.