O clube do livro feminista Heróides, da estrutura artística Cassandra, terá segunda edição em 2022. Heróides - clube do livro feminista foi um projeto começado por Sara Barros Leitão no início de 2021, com sessões online todos os meses, para se falar de livros, e terá uma segunda edição em 2022, com algumas novidades, nomeadamente, dois encontros presenciais.

Foi no fim do ano de 2020, quando Sara Barros Leitão subiu ao palco do Teatro Nacional D. Maria II para receber o Prémio Revelação TNDMII / Ageas, que esta comunicou, pela primeira vez, o destino dos 5000€ que acabara de receber, a criação de um clube do livro feminista. 

Passou, entretanto, um ano. O projecto Heróides — clube do livro feminista abriu inscrições no dia 1 de janeiro de 2021, e, em algumas horas, tinha atingido o limite de 500 participantes. Nos meses seguintes, voltaram a repetir os encontros online, quase sempre no último sábado do mês. Para cada mês havia uma convidada ou convidado que escolhia o livro sobre o qual conversavam. O resultado foi um total de 4188 pessoas inscritas num ano. Assim, a estrutura decidiu manter este clube do livro que, num ano, já arrecada várias histórias para contar e um conjunto de caras conhecidas no zoom, a cada mês.

Alguns dos livros lidos na primeira edição das Heróides e a preparação para mais um zoom

Este foi o clube do livro que impulsionou a autora Raquel Freire a voltar a reeditar o seu livro Trans Iberic Love, que estava esgotado há anos na editora, que entretanto tinha fechado. Assim como, no passado mês de outubro, numa parceria com a Editorial Presença, deixou exemplares do livro Beloved, de Toni Morrison, espalhados gratuitamente nas ruas de algumas cidades. De facto, uma das premissas das Heróides é desafiar as pessoas a procurarem os livros nas bibliotecas, ou a adquirirem-nos em alfarrabistas ou pequenos livreiros. Todos os livros escolhidos devem estar traduzidos em português, e devem custar menos de 20 €, para que seja mais acessível a todas as pessoas que queiram participar. As sessões são de participação gratuita e todas têm tradução em Língua Gestual Portuguesa. 

Livros Beloved, de Toni Morrison, espalhados gratuitamente nas ruas de algumas cidades

Novas histórias estão agora por ler e por contar para o ano de 2022, na segunda edição das Heróides - clube do livro feminista. As sessões online irão manter-se, mas haverá duas sessões presenciais (cumprindo as normas da DGS), uma em maio, em Torres Vedras, e outra em novembro, em Joane, Famalicão. Os encontros presenciais são também de participação aberta e gratuita, possibilitando a que se levem crianças de qualquer idade. Nos meses dos encontros presenciais, a ideia é passar a tarde a ler, em conjunto, os livros As Novas Cartas Portuguesas, de Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, e As Mulheres do Meu País, de Maria Lamas. 

Na lista de livros a ler em 2022, podem encontrar-se títulos como O coração é um caçador solitário, de Carson McCullers, Um quarto que seja seu, de Virginia Woolf, Rapariga, Mulher, Outra, de Bernardine Evaristo ou Inferior, Angela Saini. Entre as convidadas responsáveis pelas escolhas estão Gisela Casimiro, Andrea Peniche, Angélica Varandas ou Faranaz Keshavjee.

As Heróides - clube do livro feminista é um projeto da estrutura artística Cassandra, e a curadoria desta segunda edição é partilhada entre Sara Barros Leitão e Andreia Nascimento, que participou em todas as sessões do último ano e que agora se junta à equipa.

Texto de Andreia Monteiro redigido com base em comunicado de imprensa
Fotografias da cortesia do Projecto Heróides
gerador-cassandra