Está a chegar ao Porto, a Coimbra e a Lisboa a mais recente edição do projeto Inside Out, do artista JR. Europe Look Me in The Eyes é a primeira ação coletiva a acontecer em várias cidades europeias e quer mostrar os rostos dos refugiados da ilha de Lesbos. 

No próximo sábado, dia 17 de julho, 17 cidades europeias (Edimburgo, Paris, Nantes, Berlim, Frankfurt, Barcelona, Porto, Coimbra, Lisboa, Oslo, Bergen, Moster, Malmo, Bruxelas, Namur e Mitilini) recebem 155 retratos de refugiados que vivem no campo Kara Tepe. Em Portugal, as localizações escolhidas foram a Avenida dos Aliados, no Porto, a Praça da Canção, em Coimbra, e a Praça Dom Pedro IV, Rossio, em Lisboa. 

A ação tem início às 10h00, com equipas voluntárias que convidam, desde já, todas as pessoas que se quiserem juntar nestes locais para olhar nos olhos os protagonistas dos retratos. O principal objetivo de Europe Look Me in The Eyes é, de acordo com o comunicado de imprensa, exercer “pressão sobre os governos europeus para que se tomem medidas concretas, decisões e implementem políticas que beneficiem efetivamente os refugiados, por exemplo fechando os campos de refugiados”. 

“Procurar proteção e asilo na Europa é ainda mais difícil porque os países delegam o controlo das suas fronteiras a outros países, como a Turquia, a Líbia e Marrocos. A Europa e o resto do mundo não podem continuar a fechar os olhos a esta crise humanitária, nem tentar escapar às responsabilidades, atribuindo contribuições de caridade a estes países”, afirma Villy Tentoma, coordenadora da ações europeia.

“Portugal, consegues olhá-los nos olhos?” é a questão levantada por JR, os ativistas de Lesbos, as crianças, pessoas adultas e de idade avançada que se encontram retratadas. 

JR é um fotógrafo francês conhecido pelos seus retratos expostos em grande escala nas cidades, nos quais destaca os protagonistas locais. Inside Out é um projeto de arte participativa que já deu origem a um documentário, em 2013, no qual tem vindo a recolher histórias pelo mundo. Os posters com os retratos podem, segundo o comunicado de imprensa, “ser colocados em qualquer lugar, podendo ser uma imagem solitária numa janela de escritório, a uma parede de um prédio abandonado ou num estádio cheio”. As exposições têm vindo a ser documentadas, e podem ser consultadas aqui

Fotografia disponível no site Inside Out

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.