Seis grupos de ensaios, seis laboratórios de criação, seis diferentes freguesias do concelho de Guimarães.   É este o ritmo habitual da “Outra Voz“, projeto itinerante que está de volta ao trabalho depois da curta pausa de inverno.

Em junho, o projeto irá apresentar um novo espetáculo, uma vez mais partindo dos pressupostos de criação que assentam em processos colaborativos que juntam participantes profissionais e não-profissionais.

As sessões de preparação encontram-se a decorrer, semanalmente em horário pós-laboral, com ensaios conduzidos na Academia de Bailado de Guimarães, Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais (ADCL) de São Torcato, Casa do Povo de Briteiros e Juntas de Freguesia de Lordelo, Nespereira e Pevidém. De acordo com a organização, este novo espetáculo deverá envolver cerca de cem participantes.

A “Outra Voz” é um grupo com portas permanentemente abertas à participação de todos. Estima-se que já tenham passado acima de três centenas de cidadãos vimaranenses e de concelhos vizinhos por este espaço que conta com uma atividade regular que se materializa em apresentações em diversos locais de referência do território nacional, como são exemplo, a Culturgest, o Centro Cultural de Belém ou mais recentemente, o Convento de São Francisco em Coimbra e o Centro Internacional das Artes José de Guimarães, a convite da artista plástica Ann Hamilton.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Ivo Rainha

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.