A Igreja de São Roque, em Lisboa, recebe, em maio, o espetáculo “Quadros Vivos de Caravaggio” que recria e apresenta em palco 21 obras do pintor italiano ao som da Missa em B Menor de Bach.

Com encenação de Ricardo Barceló, a apresentação ao vivo de várias obras de Caravaggio decorre em 10 sessões. “Judite e Holofernes”, “Madonna di Loreto” e a “Adoração dos Pastores” são algumas das obras do pintor italiano a apresentar na Igreja de São Roque sobre a forma de Quadros Vivos.

O género quadros vivos – traduzido do francês tableaux vivant -, teve sua popularidade entre 1830 e 1920. Tipicamente, o elenco de personagens representava, em palco, cenas da literatura, da arte, da história ou da vida quotidiana.

Içada a cortina, os modelos permaneciam estáticos e em silêncio durante cerca de trinta segundos. Era colocada profunda enfâse na encenação, pose, traje, maquiagem, iluminação e, sobretudo, expressão facial dos modelos. Por vezes, um poema ou música acompanhava a cena.

A dramatização que será levada à cena na Igreja de são Roque recria em palco uma sequência completa de obras do pintor italiano, que se vai construindo e desconstruindo.

Michelangelo Merisi da Caravaggio pintou, fundamentalmente, temas religiosos. Nos seus quadros, em vez de adotar figuras etéreas delicadas e perfeitas para representar acontecimentos e personagens bíblicos, preferia modelos mais próximos das figuras do povo, procurando a realidade crua, palpável e quase sensorial da representação.

Sessões:
Dias 5, 8, 9, 10,11,12, 24 e 25 de maio às 21h30
Dias 11 e 25 de maio também às 19h
Duração: 60 minutos
Entrada condicionada à aquisição do catálogo (€15) das obras a dramatizar

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Sem Asa, Lda

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.