O novo trabalho da banda Grand Sun, Sal Y Amore, “representa uma outra faceta da banda, mais crua, sem filtros e genuína”. O novo disco foi lançado no final desta semana.

O LP de estreia da banda “é uma viagem sónica à mente caótica da banda”. Em 2019, os Grand Sun aturam em eventos como o Festival Ecos de Lima, Festa do Avante ou o Festival Termómetro. “O novo disco canta todas estas viagens, novos amigos e muito roque, que permitiu ao quarteto de Oeiras crescer e mostrar uma nova face”.

Sal Y Amore foi gravado e misturado por André Isidro, nos estúdios Duck Tape Melodies, e masterizado pelo João Alves, no Sweet Mastering Studio. Fazem parte dos Grand Sun António Reis, João Ribeiro, João Simões e Miguel da Costa Gomes. “Pensem neles como uma banda de sunshine-pop com influências dos anos 60 e 70, que por vezes toca rock psicadélico, na maioria das vezes com uma atitude de garage/pós-punk”, lê-se em comunicado.

A banda lançou-se na música com o single Apolo, produzido por Filipe Sambado. Mais tarde, sai o primeiro EP, The Plastic People of The Universe. Com este trabalho, a banda percorreu salas como o Salão Brazil, Bang Venue, CAEP, entre outras.

Texto por Gabriel Ribeiro
Fotografia de Guilherme Proença

grand-sun-gerador