A XXIV edição do "Caminhos do Cinema Português" arranca, este ano, a 23 de novembro e vai até 1 de dezembro, em Coimbra. De filmes de animação, a documentários e pequenos ensaios, são dezenas as obras que podem ser vistas neste festival que “pensa” sobre os rumos da 7ª Arte em Portugal.

Como já é habitual, uma das grandes atrações do "Caminhos" são as Secções Competitivas, que este ano terão como jurados os atores Joana Pais de Brito e Diogo Amaral e o músico José Cid. São elas duas - a Seleção Caminhos e a Seleção Ensaios - e trazem-nos todo o tipo de filmes. “Madness”, de João Viana, “Terra Franca”, de Leonor Teles, “Equinócio”, de Ivo M. Ferreira, e “Bruma”, de Sofia Cachim, são alguns exemplos disso mesmo, tendo sido estes apenas alguns dos escolhidos de entre mais de 300 obras que foram propostas a esta corrida.

A par das sessões de cinema, as conversas e as formações assumem um papel de destaque no “Caminhos”. No âmbito das "MasterSessions", co-organizado com o Laboratório de Investigação e Práticas Artísticas da Universidade de Coimbra, são convidados alguns especialistas da área a debater acerca de temáticas como a representação da crise no cinema português.

O Caminhos é um festival que existe desde os anos 80 na sequência de um Curso de Verão da Sala de Estudos Cinematográficos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. De lá para cá, devido ao seu papel na divulgação de novos autores, tem-se constituído como uma referência para todos aqueles que pretendem ingressar nesta área.

 

O Gerador é parceiro do "Caminhos do Cinema Português"
Fotografia de Ricky Turner, disponível via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui