A exposição “Ser: the Unseen”, um projeto de Maria João Damas, inaugura no dia 16 de fevereiro, no Café Santa Cruz, em Coimbra. Uma reflexão sobre a relação entre a crise económica e a intervenção social que deu novos destinos a quem era invisível. 

“Ser: the Unseen” resulta numa instalação artística que recorre à utilização de algumas intervenções (sociais), retiradas de diferentes fontes e contextos — "filmes, rostos, percursos, vozes, conversas soltas e outras mais formais” — que têm como primeira baliza temporal o ano de 2010. Um espaço que pretende originar a crítica e reflexão, com vista à renovação. 

Nos dias 16 de Fevereiro e 16 de Março às 16h00 estão marcadas Conversas de Café. A primeira com Joana Guerra, Joana Nogueira, Paulo Anjos e Sónia Guadalupe, e a segunda com Paula Duarte, Clara Cruz Santos e outros membros a confirmar. Com as Conversas de Café, Maria João Damas não quer criar um ciclo de conferências; pretende criar momentos de reflexão “que partilhados informalmente poderão alcançar diálogos sentidos, porque vividos, sobre as práticas atuais enquanto intervenções sociais” e desconstruir o papel dos/as Assistentes Sociais, que “permanecem numa espécie de limbo entre o belo e o malparecido”.

Maria João Damas nasceu em Coimbra em 1971, licenciou-se em Serviço Social e tirou uma pós-graduação em Economia Social. Exerce funções na Câmara Municipal de Coimbra e graças aos caminhos com que se cruzou enquanto Assistente Social, sentiu em si “um desassossego” que a orientou para a prática artística de pintura e instalação. 

A exposição está patente até ao dia 16 de Março e a entrada para a inauguração é livre. Até lá podes saber mais sobre a Maria João, aqui

Texto de Carolina Franco
Fotografia de Maria João Damas

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.