A cidade de Serpa recebe entre os dias 7 a 9 de junho a 16ª edição do Festival Musibéria – Encontro de Culturas, numa edição marcada pelo enfoque no mundo ibérico e na sua diversidade.

“O grande objetivo desta 16.ª edição do Musibéria – Encontro de Culturas é retornar o conceito de festa cultural, com enfoque na diversidade cultural ibérica, promovendo a inclusão das comunidades imigrantes”, refere a organização do festival em comunicado.

Tal como em edições anteriores, o evento espalha-se por diversas partes do centro histórico de Serpa, nomeadamente na Praça da República, mas também nas Escadas de Santa Maria, Castelo, espaço Musibéria, Jardim Municipal, Nora e Casa do Cante.

No primeiro dia do evento, dia 7 de junho, os cinco espetáculos realizam-se exclusivamente no espaço do Musibéria, a partir das 18 horas. As propostas incluem o argentino Santiago Arias, que apresenta "Bandoneón Criollo"; José Valente, com “Serpente Infinita”; Paulo Ribeiro & Os Camponeses de Pias lançam o disco “É assim… uma espécie de cante”; o brasileiro Luiz Gabriel Lopes apresenta "Mana"; e a Orquestra Latinidade, com músicos de várias nacionalidades, lança um álbum homónimo.

No segundo dia de Festival, o Jardim Municipal acolhe pelas 11h um espetáculo de marionetas. Às 16h, na Casa do Cante, é inaugurada a exposição de desenho e pintura “Terra Sagrada do Pão”, de Flávio Costa. Segue-se a apresentação dos espanhóis Charanga Si o Ké, com animação circulante pelas ruas do centro da cidade.

O espanhol Óscar Ibáñez e Tribo sobem ao palco das Escadas de Santa Maria, pelas 19h, e pelas 20h o Palco do Castelo, recebe a Companhia de Canto Popular que apresenta, pela primeira vez ao vivo, o trabalho gravado em Serpa.

A noite termina da melhor forma, com um espetáculo de Dino d’Santiago, que arrecadou as distinções para "Melhor Álbum", "Melhor Artista Solo" e "Prémio da Crítica" dos prémios Play 2019.

O último dia do festival inicia-se com o workshop “Do Lixo se Faz Música”, que visa a construção de instrumentos musicais com materiais recicláveis. Pelas 16h, o espaço Nora recebe o Projeto Interculturalidades, onde as comunidades migrantes terão espaço para divulgar alguns aspetos das suas culturas de origem. Ao fim da tarde, a Praça da República recebe “Entre Mundos”, performance de teatro físico, objetos e formas animadas, envolvendo marionetas de grande dimensão.

Ainda nesse dia destaque para a atuação dos brasileiros Jhon Douglas e Jungle Boys, no palco das Escadas de Santa Maria, seguido da galega Uxía, acompanhada pelo Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa, no palco do Castelo.

O Festival Musibéria – Encontro de Culturas termina com a atuação de Pedro Abrunhosa, acompanhado pelos Comité Caviar, que traz a Serpa o álbum “Espiritual”.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Rui Bandeira via flickr

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.