Inaugura no próximo dia 24 a Casa do Cinema Manoel de Oliveira, o novo espaço na Fundação de Serralves dedicado à obra do cineasta dirigido por António Preto. Assinado em 2013 por Manoel de Oliveira e pela então secretaria de Estado da Cultura, o protocolo para a construção deste projeto foi passando por diferentes mutações ao longo dos últimos seis anos. 

Em novembro de 2013, Sérgio C. Andrade noticiava no Jornal Público que o edifício projetado por Eduardo Souto de Moura para este efeito e já construído na Foz estava definitivamente fora dos planos, e que um novo equipamento seria desenhado por Álvaro Siza. O novo edifício foi efetivamente construído por Siza na antiga garagem da Casa de Serralves, situada no limite nascente do Parque.

Negociada desde 2008, quando o cineasta celebrou o seu 100º aniversário e a propósito da retrospetiva que Serralves lhe dedicou, a decisão foi selada com a aprovação de Manoel de Oliveira, mas a concretização prolongou-se no tempo devido a falta de entendimento entre a Câmara Municipal e o cineasta, conforme é possível ler no mesmo artigo do Jornal Público. 

A proposta dirigida a Álvaro Siza por via de João Fernandes abre finalmente as suas portas aos visitantes de Serralves, contando com "duas salas de exposições, uma livraria e espaços de trabalho situados nos dois pisos da construção existente" e "um auditório de 59 lugares, o arquivo, espaço de investigação e salas do serviço educativo, às quais se acede através de uma longa galeria aberta com vista panorâmica sobre o jardim envolvente” no edifício anexo ao já existente que foi construído para este propósito, de acordo com a descrição que já é possível ler no site oficial da Fundação. 

Em declarações à agência Lusa, António Preto disse que este será também um espaço aberto a conferências e edições próprias, como a de um catálogo bilingue (português e inglês) de toda a obra do cineasta com imagens e documentos de contextualização da sua atividade, a ser publicado em colaboração com a Cinemateca Portuguesa.

Manoel de Oliveira nasceu no Porto a 12 de Dezembro de 1908 e interessou-se desde cedo pelo cinema, como conta no seu filme biográfico “Porto da minha infância”. Morreu no Porto a 2 de abril de 2015 num lugar que tanto lhe dizia, a Foz. 

Texto de Carolina Franco
Fotografia de Claudio Andres Tapia disponível via Flickr

Se queres ler mais entrevistas sobre a cultura em Portugal, clica aqui.