fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Alterações climáticas? Poupar água no banho e reciclar são as ações individuais mais comuns entre os jovens europeus

Cerca de 4.000 jovens de oito países europeus participaram num inquérito sobre as alterações climáticas, as práticas sustentáveis e a escassez de água.

Texto de Isabel Patrício

Fotografia de Kevin Baquerizo via Unpslash

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Afinal, o que pensam os jovens europeus sobre as alterações climáticas? Foi para dar resposta a esta pergunta que o projeto People & Planet questionou 4.000 pessoas com menos de 35 anos, de oito países do Velho Continente, sobre as práticas sustentáveis e a escassez de água. “A mensagem mais visível é que os jovens sabem que a ameaça climática é real e está aqui”, salientam os responsáveis. E entre as ações individuais mais comuns em prol do planeta, trocar o banho por um duche, fechar a torneira durante a lavagem dos dentes e reciclar estão em destaque, revelam os resultados desse questionário.

Financiado pela União Europeia, o People & Planet pretende “sensibilizar e mobilizar os jovens, a sociedade e os decisores políticos para o combate às alterações climáticas”, bem como mudar consciências e comportamentos, “rumo a um mundo mais sustentável”. 

Nesse âmbito, e para perceber o que pensam hoje os jovens europeus da mudança climática, foi desenvolvido um questionário online, no qual participaram cerca de 4.000 pessoas de oito países: Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Polónia, Portugal, Roménia e Espanha.

As conclusões foram agora publicadas no relatório “European youth and climate change: a community baseline” e indicam que “a mensagem mais visível é que os jovens sabem que a ameaça climática é real e está aqui”, salientam os responsáveis citados em comunicado.

Em maior detalhe, e no que diz respeito à ação individual, as atividades mais comuns a favor do ambiente mais comuns entre os inquiridos estão relacionadas com a poupança de água: 78% dizem tomar duche em vez de banho e 85% garantem que fecham sempre a torneira enquanto lavam os dentes. “Os nossos resultados sugerem também que a reciclagem é uma atividade importante, com 68% dos participantes a assegurarem que o fazem sempre e 26% a indicarem que o fazem às vezes”. Já entre as atividades menos frequentes, aparecem o consumo de bens locais ou de comércio justo, bem como a participação ativa em campanhas a favor do ambiente.

Por outro lado, quanto à perceção das alterações climáticas, mais de metade dos inquiridos confessou estar atento ao impacto nas suas vidas decorrente do aquecimento global, da poluição do ar, da escassez de água e da seca.

Os jovens inquiridos indicaram ainda estar, na generalidade, às políticas relacionadas com o ambiente, tendo mais de metade garantido ter conhecimento das medidas que estão no terreno nos seus países.

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

11 Junho 2024

Prémio Fundações vai dar 50 mil euros a projetos de arte, ciência, cidadania e solidariedade

4 Junho 2024

Irene Flunser Pimentel: “o identitarismo é a grande arma da extrema-direita”

28 Maio 2024

Tiago Fortuna: “a deficiência é um espaço de combate para quem a habita”

21 Maio 2024

Mulheres na política: movimento cívico quer subir o limiar da paridade para 50%

15 Maio 2024

No IndieLisboa 2024 o “olhar atento e urgente sobre o mundo” ecoa em todos os filmes

14 Maio 2024

António Sampaio da Nóvoa: “a melhor política educativa é a valorização daquilo que já se faz”

7 Maio 2024

Festival Mental está de volta a Lisboa para a sua 8.ª edição

30 Abril 2024

Flávio Almada: “Devemos recusar a geografia do medo”

16 Abril 2024

‘Psiquiatria Lenta’: Crónicas de João G. Pereira no Gerador editadas em livro

9 Abril 2024

Fernando Dacosta: “Baixou-se o nível das coisas que fomenta a infantilização das pessoas”

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0