Nos dia 15 e 16 de junho de 2021, Faro transforma-se na Capital da Música em Portugal com a primeira edição do South Music, um evento que quer dar as ferramentas aos artistas da região para os colocar no circuito musical português.

Faro é uma das cidades candidatas a Capital Europeia da Cultura 2027, tendo já desenvolvido algumas atividades, debates e promovido a região de forma a mostrar que é a merecedora do título. O mais recente projeto, é o evento South Music, que tem como missão estimular o diálogo entre os músicos locais e os profissionais do sector musical, nomeadamente programadores, editores, agentes, produtores e meios de comunicação social.

Este acontecimento, com data marcada para os dia 15 e 16 de junho, surgiu pela dificuldade que os projetos musicais do Algarve têm em ganhar dimensão fora da região. Ciente desta realidade, a organização, em parceria com algumas entidades da região, decidiu emprenhar-se em encurtas as distâncias através da criação de um circuito de comunicação fluído, começando pelo convite aos profissionais do sector musical para se deslocarem a Faro e conhecerem alguns destes projetos. O South Music pretende assim contribuir para dotar os artistas de ferramentas práticas que complementem o seu talento e os ajudem a alcançar a visibilidade necessária à integração no circuito musical nacional. O evento assenta em quatro grandes vertentes: ações de formação e capacitação dos projetos musicais selecionados; showcases; networking; e conferências, com temas, convidados e moderadores ainda a revelar.

Dino D'Santiago, Júlio Resende, Nuno Guerreiro, Viviane e Zé Eduardo, músicos com forte ligação ao Algarve, são os embaixadores do festival. A estes nomes vai juntar-se um júri constituído pelos jornalistas Inês Meneses e Rui Miguel Abreu, pelo animador de rádio Fernando Alvim, pelo diretor do Teatro das Figuras, Gil Silva, pela promotora, agente, manager e presidente da direção da APEFE Sandra Faria, pelo compositor, músico e produtor Renato Júnior, por Paulo Silva, programador do Festival Med e do Cineteatro Louletano, e por Nuno Saraiva, presidente da AMAEI.

O South Music não quer ser só um evento e continuará como uma plataforma onde estarão alojados vídeos, áudios, informações e contactos das bandas participantes, funcionando como um agregador de conteúdos e veículo de comunicação com a indústria musical.

Segundo informação disponível no site do evento, entre 16 e 30 de abril já foram criados 294 perfis, desde compositores, instrumentistas, cantores, autores, produtores, técnicos, agentes a promotores, oriundos de doze concelhos do Algarve. A plataforma recebeu ainda 121 candidaturas com grande abrangência de géneros musicais - desde o rock, jazz, pop, MPB, hip hop, indie e spoken word. Os projetos selecionados terão a oportunidade de se apresentar em formato showcase no South Music e frequentar ações de formação preparatórias, em áreas fulcrais para o desenvolvimento do seu percurso artístico.

Para além do South Music, a Faro2027 irá apresentar a iniciativa SOUTH MUSIC Geração Cápsula, que procura chegar a jovens criativos dos 14 aos 18 anos, através de um processo de curadoria que irá permitir lançar uma nova geração de músicos de Faro e do Algarve.

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografia disponível via Unsplash
Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.