A vila de Caminha, em Viana do Castelo, acolhe, entre os dias 26 e 28 de novembro, um festival que pretende promover o acesso a projetos artísticos consolidados e emergentes fora dos grandes centros urbanos. Com o propósito de "contribuir para a divulgação desta área da música, rica em inovação e criatividade em territórios de baixa densidade", o Space Festival terá lugar no Valadares Teatro Municipal de Caminha e no Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

Com uma programação que inclui espetáculos "onde as artes visuais, a tecnologia e a performance dialogam com a música experimental e improvisada", a iniciativa pretende "estimular a coesão territorial na fruição de espetáculos artísticos diversos e a circulação de artistas em todo o território nacional, para que este género de música se torne mais acessível em vários pontos do país", avança a organização do Space Festival, organizado pela Associação Cultural Rock‘n’Cave.

Na sexta-feira, dia 26, o festival decorre no Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e apresenta uma programação destinada a famílias e ao público em geral. O filme-concerto Piratas e Sereias, Ostras e Baleias, composto por diversas curtas metragens de animação de várias nacionalidades, marca a abertura da iniciativa.

O segundo dia arranca, no mesmo espaço, com o espetáculo Cine-Música, fruto da Oficina de Música para Filmes, desenvolvida pelo Space Ensemble em diversas escolas de música. "A oficina está a ser trabalhada em várias localidades, com o objetivo de despertar os jovens para as potencialidades da música experimental e improvisada, bem como criar uma relação de proximidade com a comunidade dos locais onde decorre o festival", é dito em comunicado. O espetáculo conta com a participação da Academia de Música Fernandes Fão de Vila Praia de Âncora (de Caminha), dos alunos do Ensemble de Clarinetes de Goián (de Tomiño, Espanha) e da Escola do Rock de Paredes de Coura.

Também no sábado, dia 27, a programação passa para o Valadares Teatro Municipal de Caminha, com um solo do multi-instrumentista Jorge Queijo, que lançou dez discos em 2020, sete dos quais foram lançados em sete horas. Depois, é apresentado o filme-concerto As Aventuras do Príncipe Achmed, que integrou recentemente a programação do Film-Fest em Setúbal e do Festival Jazz ao Centro em Coimbra.

Filme-concerto As Aventuras do Príncipe Achmed. Fotografia de © João Duarte

A programação do festival encerra no domingo, 28 de novembro, também no Teatro Valadares, com o solo de Samuel Martins Coelho, artista multidisciplinar que lançou recentemente o segundo álbum a solo, Cura, seguido do espetáculo multidisciplinar Pequeno Mundo, que cruza diversas áreas artísticas, como vídeo, representação, dança e a música, com estímulos científicos em parceria com uma investigadora da área da Biologia. 

Fundado em 1999, em Coimbra, o Space Festival realizou, até 2005, várias edições itinerantes, em locais como Porto, Lisboa, Braga e Aveiro, programando inúmeros artistas portugueses, numa abordagem aos "novos rumos da música contemporânea, possibilitados pela via da experimentação, da improvisação e das novas tecnologias digitais."

Nesta nova edição, o festival regressa à sua génese, tendo convidado o Space Ensemble – uma formação musical que trabalha com diversos músicos, "inspirada no Space Festival e com origem nas suas primeiras edições" – a apresentar alguns espetáculos e também a convidar outros artistas e projetos nacionais, para esta mostra de quatro concertos multidisciplinares distintos.

Texto de Flávia Brito
Fotografia de © João Duarte (do filme-concerto Piratas e Sereias, Ostras e Baleias)

Se queres ler mais notícias sobre cultura clica aqui.