Inaugura no dia 18 de setembro A Morte de Danton, de Georg Büchner, no Teatro Nacional São João (TNSJ). A estreia marca a primeira encenação de Nuno Cardoso na condição de diretor artístico da instituição que também inclui o Teatro Carlos Alberto (TeCA) e o Mosteiro de São Bento da Vitória (MSBV). 

Escrita entre janeiro e fevereiro de 1835 “em estado de urgência”, A Morte de Danton recupera documentos que, citando o comunicado de imprensa, “dão conta das convulsões da Revolução Francesa”. Nuno Cardoso leva-a para o palco para refletir a ideia fundadora de Revolução “como motor da sociedade contemporânea”.

O texto é de Georg Büchner, a encenação de Nuno Cardoso e a tradução de Francisco Luís Parreira. O elenco contará com atores como Albano Jerónimo, Joana Carvalho, Paulo Calatré e António Afonso Parra, entre outros. No total são 14 atores a dar vida à obra em palco entre 18 e 29 de setembro no TNSJ. 

Intimamente ligado ao TNSJ desde o início de 2000, coordenou a programação do TeCA entre 2003 e 2007 e encenou várias peças que foram pisando os palcos que atualmente dirige. Nuno Cardoso sucede ao também encenador Nuno Carinhas na direção do TNSJ. 

A Morte de Danton será também apresentada entre 9 e 19 de janeiro no Teatro Nacional Dona Maria II, levando do Porto para Lisboa a cenografia de Fernando Ribeiro, os figurinos de Nelson Vieira e toda a produção feita previamente para o TNSJ. 

Texto de Carolina Franco
Fotografia de ©Sébastien Bozon

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.