Teatromosca, companhia fundada em Sintra em 1999, tem-se afirmado como um dos mais dinâmicos coletivos teatrais nacionais, traduzindo-se este percurso na internacionalização da companhia por via de várias apresentações no estrangeiro, parcerias com outras companhias/instituições e uma circulação intensiva dos seus projetos a nível nacional.

A par do trabalho de criação e produção de espetáculos, desde janeiro de 2018, a companhia passou a gerir e programar o AMAS - Auditório Municipal António Silva, na cidade de Agualva-Cacém, apostando num conjunto de propostas multidisciplinares enquadradas no ciclo a que se chamou “Atingir a Maioridade” que orientará a programação deste espaço e da companhia ao longo do biénio 2018-2019, por ocasião da celebração dos 18 anos do Teatromosca.

Assim, ainda em fevereiro, no dia 23, às 21h, o AMAS - Auditório Municipal António Silva recebe a Companhia Mascarenhas-Martins e a Cegada Grupo de Teatro que irão apresentar “O Medo de Existir”, espetáculo inspirado por obras literárias de Thomas More e José Gil.

O mês de março inicia-se com o acolhimento do espetáculo “Farsas e Trovas Vicentinas”, no dia 9, às 16h, pelo Grupo de Teatro Sénior de Odivelas, que adapta “Quem tem farelos?” e “O Juiz da Beira”, de Gil Vicente. Nesse período, o Teatromosca junta-se à Maternidade, uma associação cultural lisboa de agenciamento artístico, para a apresentação do Ciclo Maternidade, nos dias 15 e 16 de março, e que trará a Agualva-Cacém artistas ligados a este projeto musical.

Já em abril, a companhia acolhe “O Principezinho”, um espetáculo de teatro de marionetas para crianças a partir do livro homónimo de Antoine de Saint-Exupéry, nos dias 6 e 7 de abril pelas 16h, uma produção dos Valdevinos Teatro de Marionetas. Posteriormente, é a Trincheira Teatro, em coprodução com o Teatrão, que apresentará “Triste Sina de uma Coisa Feliz”, um espetáculo sobre o amor, ou o restolho do amor, a partir de algumas canções de fado.

Em todos os espetáculos no AMAS aplica-se a promoção de 2 bilhetes pelo preço de um normal para os portadores do CAES - Cartão das Artes do Espetáculo de Sintra.

Para além da programação regular do AMAS estabelecida pelo Teatromosca, a companhia prepara já três novas criações no âmbito do Ciclo “Atingir a Maioridade”:  “Anónimo”, com texto original de Jorge Palinhos e encenação de Pedro Alves, a estrear em maio no Teatro Ibérico, em Lisboa; “O Deus das Moscas”, adaptação do celebrado romance de William Golding, com encenação de Pedro Alves e banda sonora original composta por Noiserv, que estreará na Quinta da Ribafria, em Sintra, no dia 5 de julho e que aí ficará em cena até 31 de agosto; e “Quarenta Mil Quilovátios”, com texto inédito de Paulo Campos dos Reis, encenação de Pedro Alves e banda sonora original de Allen Halloween, a estrear em novembro.

Já em setembro, entre os dias 12 e 22, o festival MUSCARIUM#5 voltará a assinalar a abertura da nova temporada (2019-2020) do AMAS e do Teatromosca, com espetáculos de teatro e dança de companhias e coletivos nacionais e internacionais, assim como uma série de concertos de artistas nacionais.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Nuno Morais

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.