fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Tempos Livres. Iniciativas culturais pelo país que vale a pena espreitar

Todas as semanas o Gerador recomenda-te iniciativas culturais pelo país que vale a pena espreitares. Descobre em baixo as nossas sugestões.

Texto de Gerador

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Noite de Reis

Teatro da Trindade, Lisboa

até 21.07

Depois de dois meses em cena, “Noite de Reis” regressa ao Teatro da Trindade INATEL para uma nova temporada. Nesta adaptação da comédia de Shakespeare da qual a peça ganha o título, a escrita tragicómica é projetada numa narrativa ambivalente centrada no amor. A simplicidade do que move as personagens contrasta com o teor existencial dos seus dilemas identitários e de disputa, culminando numa tempestade que se estende tanto à  provocação do riso como à contemplação das profundezas das questões amorosas que atormentam o coração. 

A peça estará em cena até dia 21 de julho, de quarta a sábado às 21h e ao domingo às 16h30.

O PRINCIPEZINHO

Parque Municipal de Alta Villa, Águeda

29.05

O CAA - Centro de Artes de Águeda juntou à sua programação artística deste mês a projeção do filme do realizador Mark Osborne, “O PRINCEPEZINHO”. Alinhando-se com a regular mostra eclética do Centro, que se estende aos vários públicos focando-se em dinamizar diferentes linguagens artísticas, esta sessão aponta o alvo também aos mais novos para um momento de diversão e reflexão acerca dos valores da amizade. No grande ecrã veremos surgir uma história marcante entre duas pessoas, que depois de contada a uma menina, muda as suas perspetiva e planos.

Uma sessão ao ar livre, a entrada é gratuita.

Suores de Mel e a Morte Não Terá Domínio

Cine-Teatro Louletano, Loulé

31.05

O espetáculo de dança Suores de Mel e a Morte Não Terá Domínio, insurge-se como como uma aparição dançante de um movimento insubmisso,  baseando-se em diversas fontes que retratam esta mesma urgência pela mudança e inversão de uma socialização restrita em cânones e ordens.

Falamos de "Heterodoxias" de Eduardo Lourenço, a Heteronímia de Pessoa, “Mitologias” de Eudoro de Souza, a poesia sensual de Natália Correia, de Luiza Neto Jorge, o novo dionísiaco de  A. O. Spare, a pesquisa de K.Kerenyi, o Symposium de Platão, o recuperar de Diotima de A.Silva, a epopeia “Dionisiacas” de Nonus, e a Filosofia/Dança de Nietzsche.

Não desassociada do presente marco dos cinquenta anos do 25 de abril, esta produção contemporânea trata a obsessão, a filosofia e o romper dos padrões como matérias que ganham forma na Dança e no movimento rápido e ardente, sempre sujeito às pulsações do ritmo revolucionário que a assola.

Festival Língua Terra

Fórum Luísa Todi e Casa das Imagens Lauro António, Setúbal

1 a 8.06

O Festival Língua Terra regressa para uma 4ª edição, como projeto multicultural de conexão artística entre África, Europa e América Latina.

Com uma programação multidisciplinar que engloba concertos, uma exposição, um ciclo de cinema, e a presença de artistas internacionais, é-nos presenteado espaço sem fronteiras que pretende ser base para o florescer da diversidade cultural e do enaltecer da língua portuguesa como elemento aglutinador entre culturas.

Os concertos terão lugar no Fórum Municipal Luísa Todi, com destaque para as atuações especiais de Mart’nalia e Moska (Brasil), Karyna Gomes (Guiné-Bissau) , Renma (Guiné-Bissau), Prodígio (Angola), Tiganá Santana (Brasil) aponhamos por Mayra Andrade (Cabo Verde) e Lenna Bahule (Moçambique). 

Na Casa das Imagens Lauro António haverá lugar para as sessões de cinema, destacando filmes como "Ilú Obá De Mim", uma homenagem à cantora Elza Soares; assim como a exposição do artista plástico Sidney Cerqueira, nascido na Guiné-Bissau e radicado em Portugal, com obras artísticas que abordam questões sociais.

WOOL

Covilhã

 6 a 16.06

O WOOL Arte Urbana volta a invadir a cidade da Covilhã para uma 11ª edição, continuando a sua missão em transformar o território e a comunidade através da arte e descentralizar a Cultura.

A intervenção artística no espaço público é verificada nas mais de 40 atividades que constituem a programação de 2024. Num âmbito multidisciplinar, contamos com iniciativas na área da música - duas residências, três concertos e um DJ set, liderados pelas duplas Ana Lua Caiano & Adufeiras da Casa do Povo de Paul, e Silly & Fred. Juntam-se as artes performativas, reforçadas pelo circo contemporâneo; as WOOL Talks, com conferências internacionais direcionadas às reflexão sobre a relação entre a Arte Urbana e os territórios de baixa densidade, e as habituais conversas com artistas; as visitas guiadas; instalações; workshops; e exposições.

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

14 Junho 2024

Tempos Livres. Iniciativas culturais pelo país que vale a pena espreitar

13 Junho 2024

Ansiedade Política: Como Lidar com a ascensão da Extrema Direita?

12 Junho 2024

42: Prólogo

12 Junho 2024

Haris Pašović: “Não acredito que a arte deva estar desligada da realidade”

11 Junho 2024

Sobre o Princípio de Reparação do Dano Ambiental (e a Necessidade de Tutelar o Direito ao Ambiente)

11 Junho 2024

Prémio Fundações vai dar 50 mil euros a projetos de arte, ciência, cidadania e solidariedade

10 Junho 2024

Matilde Travassos: “A intuição é a minha única verdade”

7 Junho 2024

Tempos Livres. Iniciativas culturais pelo país que vale a pena espreitar

6 Junho 2024

Em voz alta: Medo em tempos de ódio

6 Junho 2024

Sobre o novo aeroporto e a sustentabilidade do setor da aviação

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0