Pelo terceiro ano consecutivo, o Teatro da Didascália apresenta o seu projeto anual “Territórios Dramáticos”, que arranca hoje, dia 17, prolongando-se até ao próximo dia 27 de maio. Através desta iniciativa, a companhia, sediada em Joane, Vila Nova de Famalicão, pretende “aproximar a comunidade às artes performativas e promover um envolvimento ativo do público nas questões culturais”.

Na edição deste ano, não só será apresentada a mais recente criação do Teatro da Didascália – Argila: no princípio era o verbo -, como ainda irá ser apresentada a peça O Dia da matança na história de Hamlet, do Teatro Experimental do Porto, que é também uma reinterpretação do dramaturgo Bernard-Marie Koltès.

Esta sexta-feira, às 21h30, no dia de abertura, será apresentado o resultado de uma residência no fAUNA pelo Teatro do Frio – Oásis.

Haverá, ainda, uma proposta inusitada do Territórios Dramáticos e que promete levar o público a experienciar a música e a culinária. De abóboras é feito o projeto satélite da Circolando -Sopa de Jerumi -, apresentado por Graça Ochoa, e que decorre num espaço pouco comum: na horta. No final, pais e filhos podem deliciar-se com as iguarias preparadas pelos chefs Liliana Duarte e Álvaro Dinis Mendes, do Cor de Tangerina.

O preço dos bilhetes, por espetáculo, varia entre os 2 e 4 euros (com desconto para estudantes, maiores de 65 anos e outros grupos). As reservas podem ser feitas através do contacto rp@teatrodadidascalia.com ou do número 924 305 850. A inscrição para as iniciativas paralelas deverá feita através do contacto patricia@teatrodadidascalia.com.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Paulo Pimenta via Facebook

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.