Lançado a 13 de fevereiro, Threadbare, o disco dos Kiko & The Blues Refugees, é um “filme sonoro” que convida a uma viagem pelo universo dos blues.

Em Kiko & The Blues Refugees, o músico, compositor e produtor Kiko Pereira junta uma equipa formada por músicos experientes do panorama nacional, nomeadamente António Mão de Ferro (guitarras), Jorge Filipe Santos (teclados), Carl Minnemann (baixo) e João Cunha (bateria).

Com produção de Mário Barreiros e Kiko Pereira, Threadbare “parte da sólida dedicação ao blues de um conjunto excecional de músicos, para inscrever este álbum na tradição da música da América, com sonoridades que convocam as subtilezas melódicas de Paul Simon e Art Garfunkel, as sínteses dos Allman Brothers, a alma rítmica de Ray Charles ou a energia eléctrica dos ZZ Top”, lê-se em comunicado.

O disco conta com onze temas originais de Kiko Pereira, numa viagem que parte do “sul profundo dos Estados Unidos”, seguindo “pelas diferentes estradas por onde os blues se espraiam, entre o delta do Mississipi e Chicago”, passando por Detroit e pelo cruzamento com outros géneros como o rock-roll, o rhythm and blues, a soul ou o jazz“.

Do primeiro single, “Giver”, lançado no arranque da pandemia, até “Sittin’ and Wishin’”, em dueto com Marta Ren, passando por “Too Lazy to be a nice guy” e “Sugar for your Instagram”, este é um disco “sintonizado com os tempos” e onde todos os temas nos remetem para a energia única da música ao vivo, num momento em que tal não é possível.

Para além de Marta Ren, no álbum participam como convidados Bj Cole, Mila Dores, João Andresen e Rafaela Alves.

O vídeo do primeiro single, “Giver”, da autoria de Kiko Pereira e Anabela Trindade, conta com a colaboração de algumas “mãos famosas”: desde Rui Reininho, Selma Uamusse, Hélder Reis, Peter Eldridge, Fernando Martins, entre muitos outros.

Texto por Flávia Brito
Fotografia de Anabela Trindade

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.

Kiko & the Blues Refugees