O encenador, ator e autor português Tiago Rodrigues será, a partir de 2023, o novo diretor do Festival d’Avignon, um dos mais importantes eventos de teatro do mundo. O português foi escolhido como o próximo diretor deste encontro de teatro e artes performativas à escala global, sucedendo a Olivier Py, cujo mandato termina no próximo verão.

"Estou muito feliz por ser nomeado como próximo diretor do Festival d'Avignon. É o festival mais belo do mundo. É uma aventura a que vou consagrar todas as minhas energias, tentando continuar esta manifestação artística e de democratização do teatro", afirmou hoje Tiago Rodrigues, em conferência de imprensa, no claustro do Palácio dos Papas, naquela localidade francesa.

A escolha do encenador português foi hoje anunciada pela organização do Festival d'Avignon, em França.

Tiago Rodrigues foi descrito como uma escolha "óbvia" e "doce", com uma proposta cheia de "poesia", segundo a ministra francesa da Cultura. "A escolha impôs-se de forma evidente, uma escolha que se impôs de forma natural, quase de forma doce”, disse a Roselyne Bachelot-Narquin, precisando que Tiago Rodrigues vai entrar em funções a 01 setembro de 2022.

A nomeação já foi alvo de reconhecimento por parte do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Primeiro-Ministro António Costa e da Ministra da Cultura, Graça Fonseca, que felicitaram este que é o primeiro estrangeiro a assumir o cargo de direção do festival. Também Cláudia Belchior, presidente do Teatro Nacional D. Maria II manifestou hoje “um enorme orgulho” pela escolha de Tiago Rodrigues para diretor do Festival d´Avignon, acrescentando que o D. Maria II "não vai deixar cair" o trabalho que desenvolveu.

Com uma carreira de mais de duas décadas, Tiago Rodrigues tem sido presença regular em palcos internacionais, tendo sempre por base Portugal, seja através da companhia que criou, Mundo Perfeito, ou do compromisso assumido com o Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, que dirige desde 2014 e onde viu recentemente renovado o mandato até 2023.

Prémio Pessoa em 2019, Tiago Rodrigues foi cofundador e diretor artístico da companhia Mundo Perfeito, tendo, ao longo de cerca de uma década, criado mais de 30 peças, apresentadas em cerca de 15 países da Europa, América do Sul, Médio Oriente e Ásia.

A sua primeira presença no Festival d'Avignon aconteceu em 2015, onde apresentou a peça "António e Cleópatra", tendo voltado nos anos seguintes com diferentes trabalhos.

Na corrida à liderança deste festival estava ainda outro português, José Manuel Gonçalves, diretor do CentQuatre, um dos templos de teatro e arte contemporânea, em Paris, e também Claire Lasne Darcueil, diretor do Conservatório, assim como Romaric Daurier diretor do teatro Phénix, em Valenciennes.

A estreia da mais recente peça de Tiago Rodrigues marca hoje o arranque da 75.ª edição do Festival d'Avignon. O festival desenrola-se até dia 25 e "O Cerejal", de Anton Tchekhov, com encenação do diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II, vai fazer mais 10 récitas, para lá da estreia, até dia 17 de julho.

Com Lusa
Fotografia de Filipe Ferreira via Festival d'Avignon