Trengolas, o ciclo de circo que convida a fazer a catarse da pandemia, chega ao Porto de 28 de agosto a 19 de setembro. O ciclo surge como resposta ao cancelamento da quinta edição do Trengo – Festival de Circo do Porto, devido à pandemia, que estava agendado para o mês de julho. O acesso aos espetáculos inseridos no Trengolas é gratuito, mediante reserva até à lotação máxima permitida.

O Festival Trengo é uma iniciativa que se tem vindo a afirmar no panorama nacional e internacional do circo contemporâneo e que tem decorrido de forma ininterrupta desde 2016. “O conceito passa por fazer convergir as novas linguagens do circo enquanto denominador comum da programação e oferecê-las ao público sob a forma de espectáculos, visando a comunhão entre os intervenientes, ou seja, o binómio artistas e espectadores”, explica a organização.

“Tendo em vista uma substituição condigna e a preceito do evento dedicado ao circo contemporâneo, fez com que em regime de co-produção a Erva Daninha e a Ágora (empresa municipal do Porto que congrega a Cultura e o Desporto) enviassem esforços para colmatar essa brecha na programação deste segmento artístico-cultural e o resultado dessa parceria vai, deste modo, traduzir-se no ‘Trengolas’: trata-se na essência de um ciclo de circo contemporâneo cuja duração se prolonga entre 28 de agosto e 19 de setembro. O acesso ao público será gratuito mediante a observância de algumas condições que se prendem com o período pandémico que estamos a viver”, avança a organização em comunicado.

O ciclo compreenderá quatro fins de semana que contam com cerca de 20 apresentações de 14 espetáculos de companhias e artistas residentes em Portugal. A programação prevê manter o plano traçado para Trengo e ainda reforçá-lo com artistas prejudicados pela ausência de trabalho, motivada pela covid-19. Irão ocupar os Jardins do Palácio de Cristal integrando a feira do livro, o Jardim de São Roque (São Roque da Lameira) e a Praça D. João I.

No menu do “Trengolas” há receitas circenses diversificadas. O programa consagra para a abertura, a 28 de agosto (sexta-feira) o espectáculo “Asas D’Areia”, pelo Teatro do Mar, às 21h30, no Jardim de S. Roque. Segue-se no cardápio, no dia seguinte, sábado, dia 29 de agosto, e no mesmo local, o trabalho “T0 Wip”, de Thorsten Grütjen, com apresentação dupla às 15h00 e às 18h00. A 30 de agosto, nas mesmas coordenadas geográficas estará a “Pequena Circoonferência”, pela companhia Radar 3600 (apresentações às 11h00 e ao meio-dia). No rodapé do primeiro fim de semana andarão “Trengos à Solta” nos Jardins do Palácio de Cristal, por volta das 17h00.

Setembro será portador de novas incursões pelo circo contemporâneo. No dia 5, sábado, será a vez de “Crasshduo_Circus”, pela Companhia Crassh, no Jardim de São Roque (15h00 e 18h00); no dia 6, uma nova trupe de artistas (Ariana Silva, Mafalda Gonçalves e Pedro Matias) vai incumbir-se de animar os Jardins do Palácio de Cristal, com ‘o segundo episódio’ de “Trengos à Solta”, às 17h00.

“Por um Fio”, um título muito adequado a esta disciplina artística, é o trabalho dirigido pelo acrobata Daniel Seabra, que irá apresentar no Jardim de São Roque, no dia 12, sábado, em apresentação dupla às 15h00 e às 18h00. Novas diatribes estarão reservadas para um coletivo renovado dos “Trengos à Solta” (Didac Gilabert, Maurício Jara e Mica Paprika), às 17h00 de domingo, dia 13, nos Jardins do Palácio de Cristal. Para o encerramento, a 18 e 19 de setembro, ficará reservado o espectáculo em estreia da companhia anfitriã deste ciclo de circo, a Erva Daninha, com “Ready”, apresentado em ambos os dias às 21h00 na praça D. João I.

Texto de Andreia Monteiro
Fotografias da cortesia de Trengolas
gerador-trengolas