O Festival Fora do Lugar - Festival Internacional de Músicas está de regresso a Idanha-a-Velha, no distrito de Castelo Branco. A 10ª edição ocorre de 19 de novembro a 5 de dezembro e promete uma programação exclusivamente feminina e na língua portuguesa. Toda a programação de cariz internacional passou para o ano de 2022.

Com uma proposta inspirada no mundo rural, aqui o som, a imagem, o cheiro, o sabor e o toque são algumas das sensações prioritárias que o utilizador vai poder vivenciar ao longo desta iniciativa. O objetivo é promover uma visão da cultura ligada à experiência do lugar. Ainda assim, e devido à pandemia da covid-19, pelo segundo ano consecutivo, o festival desenrolar-se-á num formato híbrido, online e presencial.

Hoje, aqui... no lugar mais bonito do mundo, n.3

Uma das grandes surpresas da 10ª edição é que todos os concertos são feitos por mulheres (duos e solos), que foram desafiadas pelo diretor do festival a juntarem-se e a trabalhar em conjunto. Outra novidade recai sob a parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian que resulta no Ciclo 10 --- 10 Anos Fora do Lugar --- que antecipa a programação principal. Este ciclo começou esta terça-feira e antecipou em dez dias a programação principal, através de dez mini filmes com música interpretada pelo Coro da Gulbenkian, também ele todo no feminino.

A partir de 19 de novembro e também a par da programação principal, vai decorrer um outro ciclo de 14 filmes até 2 de dezembro. Trata-se do projeto "Se chovesse um oceano", que Filipe Faria desenvolveu há dois anos juntamente com a bailarina, coreógrafa e realizadora brasileira Winnie Dias.

Podes consultar a programação na íntegra aqui.

Para aceder ao festival é ainda necessário proceder à sua inscrição.

Resultado da parceria entre a Arte das Musas e o município de Idanha-a-Nova, o Fora do Lugar conta com o apoio do Ministério da Cultura e da Direção-Geral das Artes.

Texto de Isabel Marques e Lusa
Fotografia disponível via Pexels