De 31 de maio a 16 de junho decorre o XV Festival Internacional de Banda desenhada de Beja, que este ano conta com 19 exposições de grandes autores de banda desenhada provenientes de nove países.

Entre os mais reconhecidos, precedidos pelo sucesso das suas personagens, encontram-se da Bélgica e de França, Lapière, Benéteau, e Bourgne, os atuais criadores de Michel Vaillant; da Holanda, Peter van Dongen, que desenha os famosos Blake & Mortimer; e de Itália Enrico Faccini, um dos mais talentosos desenhadores da Disney.

O Festival marca, também, o regresso de Alberto Varanda a Portugal, na companhia de Olivier Vatine; e a presença de alguns "históricos" da BD mundial como Dany, o autor de Olivier Rameau, ou Enrique Sanchéz Abulí, o autor de Torpedo.

Como representantes das novas correntes de banda desenhada, encontram-se ainda os brasileiros Fabio Zimbres e Alcimar Frazão; os espanhóis Miguel Ángel Martín, Altarriba e Kim; o francês David Sala; o inglês Paul Duffield; e o norte-americano Tyler Crook.

Por outro lado, boa parte das exposições é constituída por autores nacionais: Luís Cruz Guerreiro (com as suas BD's sobre azulejo), Mosi e Nuno Duarte, Pedro Serpa, Rita Alfaiate e Véte. A organização destaca ainda a presença do mestre José Ruy e da exposição de Eduardo Teixeira Coelho, em que se celebra o centenário do seu nascimento.

Além das exposições, o XV Festival Internacional de Banda desenhada de Beja será também preenchido com o lançamento de livros, conversas com autores, sessões de autógrafos e concertos desenhados.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Clem Onojeghuo via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.