“Antecipando o seu 26º aniversário”, a Galeria Zé dos Bois será acolhida no São Luiz Teatro Municipal e nele se moverá entre 29 de Setembro e 1 de Outubro, num ciclo que conta com uma programação interdisciplinar, onde os protagonistas são artistas nacionais, criando uma constelação entre as artes visuais, a música e a performance.

No primeiro dia, a coreógrafa e bailarina Mariana Tengner Barros, apresentará a performance “Peça do Coração: EXCALIBUR”. Em colaboração com o artista gráfico Mark Angelo e a equipa d’ A Bela Associação, “este projecto surge da vontade de valorizar a Natureza, com foco especial nas árvores e na importância que estas têm no equilíbrio dos ecossistemas.
O processo de criação teve origem no mapeamento das árvores mais antigas da área da grande Lisboa.”

A noite de dia 30 de Setembro terá o som de Lula Pena, que ondulará entre “o fado, a bossanova ou o tango mas transcende cartografias e tropes de género, para suster essas referências numa dimensão pan-global” e que se encontrará com João Simões, artista que se move entre a instalação e o vídeo, bem como do saxofonista Pedro Sousa, que trará “Calor Caluda”, que nos propõe uma “passagem pelo jazz em várias formas, pela electrónica mais arisca, pelo rock enviesado e improvisações sem nome nem lugar”.

CONSUBSTANTIATION, de Dinis Machado, será a presença do fim de tarde do dia seguinte. Trata-se de “um Drag show estranho. Deslocando-se de uma perspectiva de género e de identidade sexual binários, a performance desenvolve-se a partir da criação de um imaginário de “um espaço entre”, tanto sexual como de género, e da sua personificação: um corpo humano que se aproxima de um género-objecto”, que não cola com as “estéticas sedimentadas de representação queer”. Manuel Lourenço trará o novo álbum, Superstar Desilusão, “e uma formação de seis músicos, assente numa cumplicidade já com anos e que é também a chamada banda Xita – que revisitou no ano transacto o repertório de Primeira Dama e Lena d’Água – e que conta com António Queiroz no baixo, Inês Matos na guitarra, João Raposo nas teclas, voz e electrónica, Vera Vera-Cruz também nas teclas e voz e Martim Brito na bateria”. Alek Rein completa a programação deste dia, que se apresenta quatro anos depois de Mirror Lane, disco com edição da ZDB.

No último dia, 2 de Outubro, Portal, peça de Alice dos Reis e Odete, estará em estreia. Esta “combina som, texto, canto e instalação na projecção de uma narrativa comum a partir de dois exoplanetas paralelos. Num plano especulativo para onde convergem géneros como o sci-fi ou a ópera, Alice e Odete abatem as barreiras entre o pessoal e o político, num processo autobiográfico tão detalhado quanto abstracto que projecta possíveis futuros a partir dos sonhos e desejos das mesmas. Com o vínculo galáctico de superarem a sua própria terra.” Tristany levar-nos-á com o álbum MEIA RIBA KALXA, onde “sonda o percurso da Linha de Sintra até ao centro para recolher daí as peças de um mosaico de vivências e sentimentos bem próximos. A labuta, os anseios e aspirações de toda uma comunidade, ainda demasiado arredada dos epicentros de decisão e capital, a clamar por um lugar na voz e letras de alguém que o escreve com propriedade e vida.”

Descobre o programa, de forma mais detalhada, aqui.

Texto de Raquel Botelho Rodrigues

Fotografia disponível na página de Facebook da ZDB