A 10.ª edição do Festival Materiais Diversos arranca esta sexta-feira, dia 27 de setembro, em Minde. Com um vasto programa de atividades, o festival prolonga-se até 5 de outubro, passando ainda pelas localidade de Alcanena e Cartaxo.

Ao todo, o festival, que pretende promover o encontro entre as artes performativas contemporâneas e diferentes comunidades, acolhe 17 espectáculos, cinco em estreia absoluta e quatro em estreia nacional, envolvendo mais de 150 artistas nacionais e internacionais.

Nesta que será a sua primeira edição bienal, depois de nove edições anuais, Elisabete Paiva, diretora artística da Materiais Diversos destacou, em entrevista ao Gerador, a “falta de políticas culturais com visão”,  o que perpetua a ideia de inacessibilidade face às artes contemporâneas.

Artistas portugueses em destaque na programação do festival
Na programação deste ano, são vários os artistas nacionais em destaque. É o caso de Jogo de Lençóis, espetáculo no campo da performance em estreia absoluta de Lígia Soares, a ter lugar na Casa da Memória, em Minde, nos dias 28 e 29 de setembro.

No teatro, destaque para a mais recente criação da companhia Teatro do Vestido, Viagem a Portugal, com texto e direção de Joana Craveiro, que se estreia no mesmo dia (também com repetição no dia seguinte), no auditório do Sindicato dos Curtumes, em Alcanena. Na mesma vila, a 27 e 28 de setembro, no Cineteatro S. Pedro, destaque para estreia da peça A Menor Língua do Mundo, sobre línguas minoritárias (com destaque para o dialeto local, minderico).

Na área da dança, destaque para as estreias absolutas de Mistério da Cultura, de David Marques e Partilhas/Exchanges de Filipa Francisco, ambas no primeiro dia do festival, e em Minde: a primeira na Fábrica da Cultura, a segunda no cineteatro Rogério Venâncio.

A programação de dança inclui ainda a apresentação de Margem do coreógrafo Victor Hugo Pontes, vencedor este ano do prémio de Melhor Coreografia da Sociedade Portuguesa de Autores, que terá lugar, a 3 de outubro, no Centro Cultural do Cartaxo.

A encerrar o festival, na noite de 5 de outubro, no Centro Cultural do Cartaxo, a coreógrafa e bailarina Ana Rita Teodoro apresenta FoFo, espetáculo que, na fase de criação, incluiu duas oficinas de pesquisa com adolescentes, no Cartaxo e na escola secundária de Alcanena.

Além das áreas da performance, dança e teatro, o cartaz do festival apresenta ainda o ciclo musical “Noites Longas”, programado pelo Bons Sons, que conta com um concerto de Manel Cruz, que apresentará “algumas músicas que o celebrizaram” e outras do seu novo disco Vida Nova, à Fábrica da Cultura de Minde, no dia 28 de setembro, e a banda They Must Be Crazy ao Mercado Municipal do Cartaxo, a 4 de outubro.

Num ano de celebração, pela 10.ª edição, o festival irá contar ainda com uma exposição e um momento de debate, no qual participa Elisabete Paiva e Tiago Guedes, fundador da Materiais Diversos e atual director artístico do Teatro Rivoli, no Porto, numa conversa onde se perspetivam a história da dança, das artes performativas e dos novos centros de criação, programação e divulgação, assim como a experiência do Festival Materiais Diversos.

Estas e outras reflexões farão parte de um livro que a Materiais Diversos está a preparar a propósito dos 10 anos do festival, a ser publicado nos primeiros meses de 2020.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Bruno Simão

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.