É mais um regresso, após o interregno provocado pela pandemia. O Folio – Festival Literário Internacional de Óbidos acontece já entre os dias 14 e 24 de outubro, sob o tema “O outro”. Esta temática prende-se com questões como a cor da pele, a violência de Estado, a liberdade de expressão, guerras, revoluções, o fim das democracias, uma Europa de migrantes e o sentimento de pertença a um lugar.

Este é o primeiro evento a retomar o formato presencial na vila, desde as interrupções impostas pela pandemia, e seguirá a mesma lógica de anos anteriores. O festival estará organizado em diferentes áreas, a cargo de diferentes curadores: Folio Autores, por Ana Sousa Dias e Pedro Sousa, Folio Educa, com a curadoria de Ana Sofia Godinho, Folio Ilustra, a cargo de Mafalda Milhões. Também a vertente Folia, cuja programação é organizada pela Fundação Inatel, Folio Mais, por José Pinho, Folio BD, com Pedro Moura e Folio Boémia, por Maria Salvador e Catarina Machado.

Ao todo, estão previstas 161 actividades ao longo de 11 dias. 175 autores e escritores nacionais e internacionais estarão presentes.

No programa é anunciado que a escritora Leïla Slimani vai conversar com o autor Juan Gabriel Vasquez, a jornalista Isabel Lucas vai dialogar com Itamar Vieira Júnior, enquanto Jeferson Tenório falará com Paulo Scott.

O historiador e ex-deputado Fernando Rosas vai conversar com Lilia Schwarcz, o norte-americano Richard Zimler com a britânica nascida na China Jung Chang e Mário Lúcio falará com Mário de Carvalho.

Ainda segundo o programa, Alberto Manguel vai estar com Pedro Mexia, Ricardo Araújo Pereira com Dulce Maria Cardoso, João Paulo Borges Coelho com Ana Margarida de Carvalho, Ana Luísa Amaral com Amália Bautista, Tatiana Levy com Giovana Madalosso, Cláudia Andrade com Luís Cardoso, Ece Temelkuran com Daniel Innenarity, Ilja Leonard Pfeiffer com Davide Enia, Bruno Vieira do Amaral com Maria Antónia Oliveira e, a fechar, Daniel Sampaio estará à conversa com um autor ainda a designar.

O Folio Ilustra, que tem como pontos altos a "PIM! Mostra de Ilustração Para Imaginar o Mundo" e a entrega do Prémio Nacional de Ilustração, promoverá também conversas entre autores e o público, estando confirmadas as participações de Andreia Brites, Rita Pimenta, Sandy Gageiro, David Machado, Madalena Moniz, Ricardo Ladeira, Maurício Vieira, Jonathas Martins, Patrícia Portela e o escultor José Aurélio.

No capítulo da Folia, o cartaz, da responsabilidade da Fundação Inatel (parceira da organização), conta nesta edição com Ana Lains, Galandum Galundaina, Dead Combo, Maria Monda, Luta Livre, Mário Lúcio e Teresa Salgueiro, A Garota Não, Stereossauro e Diabo a Sete.

À Folia junta-se a Boémia que levará espetáculos musicais, leitura de poemas e DJ a espaços como o jardim do Espaço Ó, jardim do Solar da Praça de Santa Maria e Museu Municipal.

No que toca a exposições, além da "PIM", o Folio apresentará mais nove, como "Flexágono. Faces da banda desenhada contemporânea portuguesa", Jean Moulin em Portugal ou "Diário das Nuvens", de João Francisco Vilhena, entre outras.

Lançamentos de livros, oficinas de escrita criativa, 'masterclasses', conversas com escritores e a apresentação do Curso de Turismo Literário (do Turismo de Portugal), são algumas das propostas avançadas pelo Folio +.

O Folio Educa voltará a ser palco do seminário internacional, este ano dedicado ao tema "Projetar uma educação em rede" e que abordará os desafios e oportunidades da transição para o digital, quer ao nível da leitura quer da educação e do ensino.

Em paralelo, haverá ainda o evento Óbidos Living Streets a decorrer pela vila. A iniciativa tem um conceito ligado à sustentabilidade, ao ambiente, e traduz-se na delimitação de uma zona pedonal, um mercado de frutas, flores e livros, actividades de educação ambiental para crianças e animação musical.

De forma a tornar o evento mais inclusivo, foi criado um folheto em braille, em parceria com a Escola Superior de Educação e Ciências Sociais.

Outra das novidades já anunciadas pela organização é o lançamento do Prémio Literário Fernando Leite Couto, que visa promover jovens escritores dos países de língua oficial portuguesa.

O galardão resulta de uma parceria entre a fundação com o mesmo nome (criada pelo pai do escritor Mia Couto, em Maputo), a Câmara de Comércio Portugal Moçambique (CCPM) e a Câmara Municipal de Óbidos, e tem o objetivo de “promover e premiar jovens escritores moçambicanos e a produção de obras os países de língua oficial portuguesa”, segundo Paula Ganhão.O prémio será lançado no último dia do festival na a presença do escritor Mia Couto, que presidirá ao júri.

O Folio teve a sua primeira edição em 2015, num investimento de meio milhão de euros, comparticipados por fundos comunitários. No ano seguinte, passou a ser suportado pela autarquia que, para este ano, prevê um orçamento próprio de 256 mil euros.

Local: Óbidos;
Data: 14 a 24 de outubro;
Preço: Entrada livre (sujeita a lotação limitada)

O Gerador é parceiro do Folio - Festival Literário Internacional de Óbidos