Depois de 48horas a realizar um filme com "início, meio o fim", foram os projetos da equipa Story In A Box, EntreCenas e Galatic Space Pandas of Planet 9 que foram galardoados com os três primeiros lugares da competição, em Lisboa.

Após vencer dez prémios no festival 48 Hour Film Project, o filme Samanta: Má ou Santa, produzido e protagonizado por Sofia Mirpuri, foi o Grande Vencedor, estando assim presente na competição Filmapalooza, em 2022, no EUA. A curta-metragem foi distinguida com dez prémios no festival 48 Hour Film Project, em Lisboa, incluindo Melhor Filme, Melhor Realização e Melhor Interpretação.

A curta-metragem começa por retratar uma personagem, a de Samanta, no purgatório, após a sua morte, onde vai ser julgada por três homens por alegadamente ter sido amante.

A equipa de "Samanta: Má ou Santa" com os prémios no CInema São Jorge
A equipa de "Samanta: Má ou Santa". fotografia do festival 48 Hour FIlm Project

Não obstante, o Prémio Inclusão no Cinema, que o filme também recebeu, deve-se à linguagem utilizada, sendo que o filme é falado em português, mas é também exibido com legendas. Esta foi uma decisão da protagonista que pretende destacar incluir os quase dois milhões de pessoas em Portugal que têm dificuldades auditivas. Em entrevistas, a artista Sofia Mirpuri fala de pessoas surdas, mas também de pessoas com uma perda ligeira da audição.

Em segundo lugar o melhor filme foi Matrioska de EntreCenas e foi Cada Degrau Em Que O Pé Cai, da Galatic Space Pandas of Planet 9, o filme que ocupou o terceiro lugar.

48Hour Film Project é uma competição mundial criada nos Estados Unidos, em 2001, que começou a desafiar os portugueses em 2009. Habitualmente, decorre em cerca de 130 cidades por todo o mundo. Em Portugal, só nestes últimos quatro anos, fez nascer 80 novas curtas-metragens, com destaque para a última edição onde “À Vida”, com realização de André Costa e produção da Moving Pictures, venceu diversos prémios no Filmapalooza 2021 (entre eles, Melhor Actriz – Catarina Lima – e Prémio do Público), tendo sido selecionado para o Short Film Corner do Festival de Cannes 2021.

Este ano a premissa manteve-se: produzir, do início ao fim, uma curta-metragem em apenas 48 horas, estando as equipas participantes obrigadas a cumprir alguns critérios específicos dados no início do desafio. O Jurí deste ano foi composto pelo Fundador e Director da World Academy e da Better World Makers, João Tovar, pelo membro da Short/age – Shortfilms for a New Age e da distribuidora Querelle Films, Luís Belo, pela Blogger e Crítica de TV/Cinema, e responsável pelo projeto Hoje Vi(vi) um Filme, Inês Moreira Santos e ainda por Igor Miguel, Produtor no 48HFP Florianópolis (Brasil) e FAM de Todos – Florianópolis Audiovisual Mercosul.

O The 48 Hour Film Project Lisboa é parceiro do Gerador
Texto de Patrícia Silva
Fotografia disponível via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.