De acordo com o estudo Barómetro Gerador Qmetrics, que será apresentado publicamente no dia 18 de junho no festival online Oeiras Ignição Gerador, há uma enorme diferença na avaliação das medidas implementadas para combater a crise provocada pela pandemia covid-19, comparando as medidas globais com as medidas específicas para a cultura.

Cerca de 54% dos portugueses considera que o Estado agiu globalmente bem, apesar de existir uma percentagem significativa de indivíduos, perto de 1/3 do total, que afirma não concordar com o modelo implementado.

Há a perceção que o Estado apresentou as melhores soluções para as empresas e só depois para as famílias e para o emprego. Os jovens entre 15 e 24 anos são, no entanto, muito mais críticos em relação à resposta do Estado perante as famílias do que as pessoas com 55 ou mais anos. 

O Estado Português tem disponibilizado os meios financeiros, fiscais e sociais adequados para responder a esta crise?

Valores em percentagem

Ao contrário da avaliação global, os inquiridos revelam-se bastante insatisfeitos sobre o comportamento do Estado no que à cultura diz respeito. Apenas 15% dos portugueses consideram que o estado agiu bem na dimensão cultural. Uma diferença de mais de 40 pontos percentuais em relação a quem avalia negativamente as medidas.

Considerando apenas a área da cultura, julga que o Estado Português tem disponibilizado os meios financeiros, fiscais e sociais adequados para responder a esta crise?

Valores em percentagem

O Barómetro Gerador Qmetrics é um estudo anual que analisa a opinião dos portugueses sobre a cultura. Realizado pela primeira vez em 2019, o âmbito do questionário deste ano incidiu, principalmente, nas consequências da pandemia na sociedade e na cultura.

Oeiras Ignição Gerador, uma ideia do Gerador, com o alto patrocínio do município de Oeiras, cidade candidata à organização da Capital Europeia da Cultura em 2027, é um festival online inteiramente dedicado a pensar o futuro da cultura e da criatividade. Entre 18 e 20 de junho, vai contar com mais de 40 personalidades, entre artistas, pensadores e decisores como Vhils, Salvador Sobral, Sara Barros Leitão, Rui Horta, Capicua, Clara Não, André Gago, Margarida Pinto Correia, Benjamim, Constança Entrudo, Matilde Campilho ou Jorge Barreto Xavier e a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, naquele é o primeiro fórum para discutir o futuro da cultura após o início da pandemia. 

Síntese Ficha Técnica

O universo do estudo é constituído por indivíduos com idade igual ou superior a 15 anos, residentes em Portugal Continental e Ilhas. A Amostra, com 1.201 entrevistas validadas, foi estratificada por região, sexo e escalão etário, em Portugal Continental, e por Ilhas, e distribuída em cada estrato de acordo com a repartição da população alvo em cada estrato. As entrevistas foram realizadas de 20 de abril a 7 de maio de 2020, através de um questionário aplicado online utilizando o método CAWI (Computer Assisted Web Interview). Os resultados são apresentados com um nível de confiança de 95%. A margem de erro para a média na escala 1 a 10 é de 0,15 pontos e a margem de erro para a proporção é de 2,83 pontos percentuais.