"Temple of Light" é a nova exposição imersiva de AKACORLEONE que celebra 11 anos de carreira. A exposição, que pode ser vista de 18 a 31 de junho na Galeria Underdogs, com entrada gratuita, é um convite à colaboração entre várias mentes criativas e um ponto vital para o artista e para a dualidade pretendida neste novo trabalho a solo.

Pedro Campiche, mais conhecido por AKACORLEONE, começou o seu percurso no design gráfico, mas foi enquanto ilustrador freelancer que sentiu o despertar de uma maior liberdade criativa e um encontro com a sua própria linguagem. Entre os mundos do graffiti, da ilustração e do muralismo, AKACORLEONE já se apresentou a solo, em exposições coletivas, não só em território nacional, mas também além-fronteiras. Nos últimos anos, e no constante "work in progress" de estética que não é constante, o trabalho evolutivo de AKACORLEONE leva-o a explorar um caminho que passa cada vez mais pela instalação permanente, com peças mais interativas e com uma qualidade mais permanente.

AKACORLEONE escolheu a Galeria Underdogs parar celebrar 11 anos de carreira com uma nova exposição a solo que é também um despertar espiritual escrito no plural. Em "Temple of Light" o artista cria a linguagem visual e conceptual de um novo estilo de vida nascido em plena pandemia, de uma nova religião que desperta no "aftermath" do ultra-positivismo, da perda das liberdades, do instaurar de novas regras. Entre a luz e a escuridão, AKACORLEONE junta conceitos e ideais de uma nova filosofia ao trabalho com vitral do artista multidisciplinar, criando uma exposição verdadeiramente imersiva. A exposição é ainda um convite à colaboração entre várias mentes criativas: do livro com impressão em risografia que acompanha a exposição e que dela leva o seu nome, com design gráfico e produção do estúdio lisboeta DESISTO, à banda sonora com assinatura do coletivo musical Monster Jinx, desafiado a criar duas faixas de contraste entre caos e contemplação. As colaborações passam também pela criação de peças em LED com o intuito de simular sinais néon, pelo trabalho em vinil e acrílico, e pelo vídeo que acompanhará o universo visual da exposição, concretizado em parceria com a Crack Kids e o fotógrafo Pluma.

De 18 a 31 de junho, em pleno Braço de Prata, no Armazém 56 da Rua Fernando Palha, a galeria Underdogs veste-se de templo e abre as portas a uma experiência visual e auditiva, que desafia não só os sentidos, mas também o pensamento crítico e a própria espiritualidade de cada um de nós.

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografias de Pluma/ Crack Kids Studio 

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.