O arqueólogo, formado na Universidade de Coimbra, é atualmente técnico superior da Câmara Municipal de Beja para as áreas do Turismo e Património. Coordenou entre 2017 e 2020 o Centro Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial – Beja.

Responsável pelas linhas mestras deste projecto fundado em 2017, foi promotor de um intenso trabalho de salvaguarda, de criação de redes e de algo que o país e o Alentejo precisam: diálogo entre partes distantes, sejam elas partes de um movimento coral ou de aldeias fraturadas.

Acredita que a cultura e o património como extensões das comunidades vivas e dos seus tesouros humanos e materiais, devem ser a trave mestra do desenvolvimento das regiões interiores. Tem, nesse âmbito, colaborado com a Direcção Regional de Cultural do Alentejo em vários projetos de salvaguarda e valorização do património. 

Como arqueólogo participou em projectos na Síria e em Angola. Co-dirige desde 2013 o projecto internacional arqueológico de Kani Shaie, no Iraque. Encontra-se ainda a terminar o seu doutoramento na mesma área de estudo pela Universidade de Coimbra, onde foi Assistente convidado entre 2011 e 2017 leccionando no curso de Arqueologia e História. É ainda membro ativo do Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Património.