A Bienal Ibérica de Património Cultural 2019 teve início ontem, no dia 11 de Outubro, e trouxe à cidade de Loulé, no Algarve, várias exposições, ateliers de artes e ofícios, video-mapping, itinerários temáticos, oficinas, dois debates e um roteiro nocturno. A Bienal estende-se pelo fim-de-semana, até domingo, com uma programação extensa e de entrada gratuita.

A inauguração oficial da Bienal Ibérica de Património Cultural 2019 deu-se por volta das 12h30, na Zona Expositiva, com a presença de entidades como a Câmara Municipal de Loulé, a Spira, a Junta de Castela e Leão, e a Direcção Geral do Património Cultural, entre outras. Além da exposição permanente “Somos Património”, que foi perguntar a habitantes do concelho de Loulé o que é, para cada um deles, o património, e dos ateliers de arte e ofícios, ambos a decorrer ao longo de todo o fim-de-semana, o primeiro dia da Bienal contou também com uma oficina de douramento de arte sacra, com folha de ouro e folha de prata, e visita organizadas de escolas, como parte do projecto de educação patrimonial da Bienal.

A partir das 9h30, no Auditório do Solar da Música Nova, começou o primeiro seminário, intitulado “Património Cultural em(ntre) Marrocos e Portugal: um Activo de Futuro”, no qual se debateu as circunstâncias políticas, diplomáticas e económicas de um enquadramento de cooperação em matéria de património cultural entre Portugal e Marrocos. O segundo seminário do dia começou às 11h com o debate “Património, Turismo, Sustentabilidade e Inovação”, sobre formas de gestão no sector do património cultural, tipos de oferta de serviços de turismo, e ferramentas de apoio à visita turística. As Innovation Point apresentaram também, ao longo do dia, mais de duas dezenas de projectos dos expositores da Bienal, no espaço expositivo do evento.

A partir das 16h, iniciou-se o primeiro itinerário temático, feito por Luís Filipe Oliveira e chamado “Os Banhos Islâmicos e a Casa Senhorial dos Barretos em Loulé”. À noite, às 21, 21h30 e 22h, decorreram espectáculos de video-mapping na fachada do Mercado de Loulé. Pelas 19h, até às 21h, decorreu uma visita orientada ao início da noite, sob o título “Património ao Luar”. Mais tarde, às 21h30, e encerrando a programação do primeiro dia, o Auditório Solar da Música Nova recebeu o concerto de Nelson Conceição e Ensemble da Banda Filarmónica Artistas de Minerva, juntando um compositor e intérprete ligado ao acordeão a um ensemble da Banda Filarmónica local.

A Bienal Ibérica de Património Cultural decorre até domingo, com muita programação ainda pela frente, destacando-se o concerto de Rão Kyao e convidados, a decorrer no dia 12 de Outubro; a Festa do Património, a decorrer no mesmo dia, a partir das 22h30; a visita guiada ao património serrano de Loulé, a decorrer no dia 13 de Outubro; e, no início do dia 12, pelas 9h30, o debate “Artes & Ofícios como Prática de Sustentabilidade em Património Cultural”, que pretende discutir o tema dos saberes artesanais ainda existentes em Portugal e as suas oportunidades no futuro.
Podes consultar aqui o programa completo da Bienal Ibérica de Património Cultural.

Texto de Francisco Cambim
Fotografia de Tony Ramos de Pina disponível via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.