O Teatro Municipal de Bragança, o Centro Cultural Município do Cartaxo e o Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre são os novos teatros que irão integrar a Rede Eunice Ageas, ao longo das próximas três temporadas, até 2022. O anúncio foi feito ontem numa apresentação que decorreu no Salão Nobre do Teatro Nacional D. Maria II.

Lançada em 2016, e amadrinhada pela atriz Eunice Muñoz, a Rede Eunice Ageas é um projeto desenvolvido em parceria com teatros municipais, com o propósito de desenvolver públicos por todo o país, reforçando a oferta teatral de qualidade em locais onde esta é ocasional ou irregular.

A partir da temporada 2019-2020, a rede conta com o apoio do Grupo Ageas Portugal, um dos principais grupos seguradores em Portugal, com o objetivo de alargar a oferta teatral em geografias cada vez mais abrangentes, reforçando os propósitos desta iniciativa e todos os benefícios para os teatros parceiros.

Ao longo de três temporadas, fizeram já parte deste projeto quatro teatros municipais, que acolheram um total de nove espetáculos diferentes, abrangendo um total de mais de 6.700 espectadores. A nova temporada da Rede Eunice Ageas, agora apresentada, contará com 3 novos teatros municipais – localizados em Bragança, no Cartaxo e em Portalegre -, que se juntam ao Teatro Municipal de Portimão, que integra o projeto desde 2017.

Nesta temporada de 2019-2020, a Rede Eunice Ageas terá 3 espetáculos em circulação – duas produções do D. Maria II e uma coprodução: Antígona, de Sófocles, com encenação de Mónica Garnel, espetáculo que abriu a temporada do D. Maria II em setembro deste ano; Fake, um espetáculo de Inês Barahona e Miguel Fragata, com estreia marcada para dia 19 de março de 2020 na Sala Garrett do D. Maria II; e Um outo fim para Menina Júlia, uma criação de Tiago Rodrigues a partir de August Strindberg, estreada no D. Maria II em março passado.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.