CABANAmad convida-nos a conhecer o trabalho de Daniele Giannetti e Francisco Trêpa. As exposições podem ser vistas de 11 de fevereiro a 17 de março.

Em fevereiro, a CABANAmad abre as portas para que possamos conhecer o trabalho de dois artistas, Daniele Giannetti através do projeto Boca a Boca, e Francisco Trêpa, com Solo Show. Boca a Boca é um projeto da CABANAmad que tem como objetivo criar uma rede entre artistas de todo o mundo. Este programa de residência dá ao artista selecionado a possibilidade de viver e trabalhar no coração de Lisboa, explorando e descobrindo o que a capital tem para oferecer, cultural e profissionalmente. Esta rede que a CABANAmad pretende criar será continuada pelo artista escolhido, que selecionará o próximo artista, e assim sucessivamente, criando um caminho em rede, sem fronteiras, entre artistas visuais, fotógrafos, performers, e outras formas de expressão.

O primeiro convidado deste projeto é o italiano Daniele Giannetti, um artista de multimédia interessado no uso de sons e vibrações para se re-envolver com rituais antigos que ressoam com diferentes ambientes e corpos para obter respostas individuais e coletivas. O artista trabalha com esculturas, performances, instalações e uma abordagem escultural à pintura. A exposição tem lugar no fim da residência e será apresentado um trabalho realizado durante a residência em Lisboa, juntamente com outros trabalhos realizados pelo artista durante o ano anterior.

Daniele Giannetti partilha assim o espaço com o artista Francisco Trêpa, cujo trabalho - que nos apresenta em Solo Show - se desenvolve através de uma prática transdisciplinar, aplicando métodos que materializam uma abordagem entre escultura, vídeo, fotografia, pintura e desenho.

Francisco costuma explorar estratégias para tornar visíveis articulações produzidas entre o animal humano / animal não humano, que evocam ideias de conquista e enclausuramento percebidos por meio de estruturas sociais, produtos industriais e conceitos. Significados imbuídos em materiais, produtos comerciais e objetos, operam assim dentro da estrutura conceitual da sua prática. Interessa-lhe, de uma perspetiva heterogénea, a criação e representação de caminhos cruzados e tangentes entre o formalismo e o impulso vulnerável, culminando, com humor e seriedade,
num processo de feedback entre pesquisa e prática, criando assim um microuniverso particular que serve de ponte entre as obras que idealiza e cria.

Local: CABANAmad
Horário: 11 de fevereiro a 17 de março - quinta-feira das 11:00 às 20:00, ou por marcação
Bilhetes: Não aplicável
Fotografia disponível via Pexels

Se queres ler mais sobre a cultura em Portugal, clica aqui.