O mês de janeiro está a chegar ao fim e, por isso, só tens até esta semana para visitar a exposição da Filipa Morgado by FOmE na Central Gerador. Esta semana recebemos também iniciativas que passam por conversas, cinema com curadoria Cinema Triste Para Sempre, um concerto para encerrar a exposição e ainda um workshop de bordado. Curioso? Descobre aqui o que estamos a tramar para os próximos dias:

Dia 29 às 19h30 | Conversa Estacionário Português: Um legado em diálogo com o presente 
Na quarta-feira sentamo-nos na Central Gerador para debater o Estacionário Português com os convidados Ana Almeida e o estúdio Bulhufas. A sua produção pode não ser a tradição que logo associamos à cultura portuguesa, mas tem um legado inegável e que tem deixado marcas – literalmente.
 
Da Emílio Braga à Viarco, a história do país quase se podia contar através de cadernos e lápis, a forma como resistiram ao tempo e representaram diferentes épocas. O legado de marcas históricas, algumas delas ainda hoje vivas, ficou de tal forma enraizado na nossa cultura que deu espaço à desconstrução do estacionário por novas gerações.
Dia 30 às 21h | Curadoria Triste para Sempre

Em janeiro, as quintas-feiras ficam a cargo do Triste para Sempre, o festival de cinema que pretende consolar os nossos desconsolos. Celebrando a melancolia e os finais tristes, que fazem tanto parte de nós como os felizes, neste festival a tristeza sobe ao ecrã com o objetivo de deixar toda a gente em lágrimas, baba e ranho.

Na quinta-feira vai mostrar os filmes vencedores da edição de 2019 e conversa com o vencedor do prémio Lágrima Nacional, Miguel De. Os filmes que vão passar serão “Coerência” do mesmo, “Porque Este É O Meu Ofício” de Paulo Monteiro (menção honrosa nacional) e “AINHOA” de Iván-Saínz Pardo, vencedor da Lágrima Internacional.
Dia 31 às 21h | Concerto Huesos del Niño

Na sexta-feira, pelas 21h, recebemos  Huesos del Niño na Central Gerador para o finissage da exposição “O que vês quando fechas os olhos” de Filipa Morgado by FOmE. O projeto a solo de Pedro Cunha traz melodias harmoniosas com influências do flamenco, acompanhadas de subtis efeitos de delay que procuram conduzir o público numa viagem.

O primeiro EP de Huesos del Niño (ainda por sair) é marcado por alusões a episódios de amor e perda. A experiência é acompanhada por videoarte de Samir Noorali, uma filmagem nocturna do músico na Serra da Arrábida, apenas orientado por luzes pontuais.

Dia 1 às 18h30 | Workshop: Bordado Criativo com Ana Campos (Tampa Sem Caneta)
No sábado agarramos nas agulhas das nossas avós, nos restos de tecido das nossas mães e claro, em imagens divertidas para criarmos bordados que nos representem. Neste pequeno workshop vais aprender as bases do bordado para que depois consigas continuar em casa. Só precisas de trazer vontade e boa energia.

A Central Gerador está aberta de quarta a sábado, entre as 18h e as 23h, e domingo, das 15h às 20h. Fica atento ao Facebook e Instagram oficiais da Central Gerador para estares a par de todas as novidades :)

Onde fica a Central Gerador?

A entrada faz-se pela Rua Luis Pastor de Macedo, nas traseiras do edifício da Junta de Freguesia do Lumiar, pelo portão verde que estará aberto. A Central Gerador fica no Largo das Conchas, Casa da Cidadania, nº 5, Lumiar (Lisboa).