O Dia da Mulher chega já este domingo à Central Gerador com um conjunto de iniciativas que elogiam esta celebração. Com curadoria M3DUSA, esta tarde de festa começa pelas 15h com uma conversa acerca do papel da mulher na indústria musical com Mariana Duarte Silva, co-fundadora do Village Underground Lisboa, a artista AMAURA, a beatmaker Trafulha e Núria Pinto, ex-Digital Strategist na Antena 3 e jornalista na Rimas e Batidas, que assume a moderação desta conversa. Descobre aqui um pouco mais sobre cada uma:

AMAURA

As influências são várias mas o cunho pessoal na escrita e melodia são características que distinguem AMAURA como uma das vozes mais promissora da música Soul e R&B feita em Portugal. O sucesso do disco de estreia “EmContraste”, destacado entre os melhores do ano pela imprensa da especialidade, e colaborações com nomes como Fred Ferreira ou Sam The Kid, fizeram de 2019 um ano de afirmação para a cantora.

Mariana Duarte Silva

A co-fundadora e diretora do Village Underground Lisboa trabalhou 18 anos na indústria da música promovendo bandas de novos talentos e DJs de música electrónica, 3 dos quais em Londres onde produziu vários eventos de promoção da música portuguesa. Conquista regularmente prémios de Inovação e Empreendedorismo e é presença assídua em revistas como a Time Out Lisboa, a revista Executiva ou a Forbes Portugal. Já foi convidada para participar como oradora em conferências internacionais no Dubai, Lyon e Madrid e em eventos em Portugal como Resident Advisor, conferência da Microsoft, Rock in Rio Innovation Week, Start Up Portugal, entre outros.

Trafulha

A beatmaker já conta com 3 EP’s que entretanto eliminou da Internet. Brevemente lançará um novo EP, cujo título será Auto-Simbiose. Procura produzir uma narrativa emocional, a ideia de que um instrumental pode contar uma história sem palavras. Geralmente também procura incluir partes do quotidiano para enfatizar a ideia de ser quase como a banda sonora do “seu” filme.

Núria Pinto (moderadora)

Com background em Comunicação, PR e uma pós-graduação em Marketing Musical, a sua ligação e interesse pela escrita e pela música começam desde cedo. É ex-Digital Strategist na Antena 3 e jornalista na Rimas e Batidas. Procura olhar de forma crítica para o feminino na indústria e interessa-se por novas formas de impacto social em função da representatividade de género.

A Central Gerador está aberta de quarta a sábado, entre as 18h e as 23h, e domingo, das 15h às 20h. Fica atento ao Facebook e Instagram oficiais da Central Gerador para estares a par de todas as novidades :)
Onde fica a Central Gerador?

A entrada faz-se pela Rua Luis Pastor de Macedo, nas traseiras do edifício da Junta de Freguesia do Lumiar, pelo portão verde que estará aberto. A Central Gerador fica no Largo das Conchas, Casa da Cidadania, nº 5, Lumiar (Lisboa).

conversa-central-gerador-papel-da-mulher-industria-portuguesa